Rio Erges, Monfortinho. Por lpmmpessoal

Até pode ser que em tempos as termas tenham estado associadas e destinadas a uma faixa etária mais sénior, mas a verdade é que as termas são o sítio ideal para relaxar e as águas termais benéficas a vários níveis. Em termos de saúde, são bem conhecidas as suas vantagens para problemas articulares, dermatológicos, inflamatórios, entre outros.

Contudo, há quem também recorra às termas simplesmente para descansar, recarregar energias e sentir-se bem e renovado. Portugal é fértil em águas termais e de norte a sul do país vai encontrar muitos lugares para usufruir desta maravilha da natureza.

1. Termas de Vidago

Parque de Vidago. Por Marta.i.sousa~ptwikiquote

Inseridas no centenário Parque de Vidago, no concelho de Chaves, onde são visíveis edifícios do estilo “belle époque”, as Termas de Vidago já acolheram, nos últimos cem anos, grandes figuras da monarquia europeia, da política e das artes, que aqui se deslocaram à procura das propriedades benéficas das suas águas. No século XIX eram as termas preferidas da corte portuguesa, sendo por isso consideradas a “rainha das Termas”.

Vidago, Vidago II e Fonte Salus são as três nascentes de onde provém a água utilizada nas Termas de Vidago. Com base nas características especiais da água e toda a calma e tranquilidade do parque, existem aqui programas especiais para potenciar o bem-estar dos visitantes desta estância termal, como por exemplo anti-stress, desabituação ao tabagismo e controlo de peso. A sua oferta tem também um especial enfoque nas desordens digestivas, alergias/asma e enxaquecas.

2. Termas de Monção

Rio Minho, Monção. Por Carlos Cunha

É junto às margens do rio Minho, em Monção, que ficam as Termas de Monção, onde pode usufruir de diversos tratamentos e programas concebidos para oferecer o máximo bem-estar. Estas fontes de água termal são exploradas desde o século XVII e, hoje em dia, o Centro Tesal Termas de Monção possui uma das melhores águas minero-medicinais do norte de Portugal.

A estância é conhecida pelas suas águas termais, com um variado leque de programas de bem-estar que passam por tratamentos de relaxamento, descanso, anti-stress e beleza. Estas águas são também indicadas para o tratamento de diferentes patologias reumáticas, doenças inflamatórias articulares e sequelas pós-traumáticas de fraturas, e doenças respiratórias.

3. Termas do Gerês

Vila do Gerês. Por Neitram

Localizado em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês, no concelho de Terras de Bouro, as Termas do Gerês estão integradas numa paisagem de lagos cristalinos e imponentes montanhas. O espaço tem como objetivo principal a prevenção e promoção da saúde através de tratamentos baseados sobretudo na cura termal tradicional. Contudo, há também um menu específico de spa, mais direcionado para o universo da estética e bem-estar.

Devido às suas características únicas, os termalistas acreditam que as águas do Gerês atuam ao nível da regeneração das células, produzindo efeitos sobre o seu bem-estar geral. As Termas do Gerês são especialmente recomendadas para tratamento do fígado, vesícula, obesidade, diabetes, hipertensão arterial e reumatismos crónicos.

4. Termas de Luso

Vila do Luso. Por Carlos Goulão

Situadas na encosta da misteriosa Serra do Buçaco, as Termas de Luso estão envoltas numa paisagem fascinante. Em 1854, foram iniciadas as primeira obras de instalação das termas e desde logo se notou a preocupação com a imagem e requinte. Depois de várias remodelações, mantém-se o ambiente minimalista e requintado.

As Termas de Luso são um recanto de paz e tranquilidade que assegura a quem as visita uma impressionante recuperação física, mental e espiritual. Os principais tratamentos destas termas incluem o tratamento de desordens metabólicas, urinárias e do sistema músculo-esquelético, além de doenças respiratórias crónicas.

5. Termas de São Pedro do Sul

Termas de São Pedro do Sul. Por Lusitana

Nas margens do rio Vouga, em Várzea, as Termas de São Pedro do Sul são uma das maiores do país e integram a lista de uma das melhores porque, além de serem das mais antigas, aproveitam as maravilhosas águas terapêuticas da zona. Com um alto teor de minerais, as águas chegam à superfície a cerca de 68.7º C o que, conjugado com as suas propriedades, reúne as condições para o tratamento de várias doenças.

Dentro das Termas de São Pedro do Sul a modernidade alia-se à tradição de um lugar que vive muito das termas e que recebe cerca de 20 mil visitantes todos os anos. A água, doce, alcalina, carbonatada, bicarbonatada, sódica, sulfídrica, é bastante generosa para a saúde e capaz de curar diversas patologias respiratórias, reumáticas, metabólicas ou de origem muscular.

6. Termas das Caldas de Monchique

Caldas de Monchique. Por Peter

Mais a sul, a Serra de Monchique dá o nome às Termas de Monchique, com águas curativas para quase todos os males respiratórios. A sua água rica em bicarbonatos, sódios e flúor foi aplicada em piscinas e banheiras de hidromassagem, duches de jato, saunas, banhos turcos. Numerosos e importantes achados arqueológicos encontrados nas zonas adjacentes das nascentes de Monchique comprovam que estas águas já eram utilizadas para curar o cansaço do corpo e da mente pelos romanos, que lhes chamavam “águas sagradas”.

Este é um outro Algarve, bem distante do reboliço das praias, envolto num ambiente de tranquilidade e sossego. As Termas das Caldas de Monchique são ideais para o tratamento de problemas nas vias respiratórios ou de afeções músculo-esqueléticas.

7. Termas de Monfortinho

Rio Erges, Monfortinho. Por lpmmpessoal

Outra das fontes termais que já eram apreciadas na época da civilização romana, pela qualidade e pureza das fontes da serra de Penha Garcia, em Idanha-a-Nova, é a Fonte Santa, com um caudal que atinge os 36 mil litros/hora. Esta fonte é considerada a mãe das Termas de Monfortinho e enquadra-se num cenário onde a natureza permanece intacta.

Na margem direita do rio Erges, o ar e a água são essenciais para os tratamentos terapêuticos, que além de serem dedicados à saúde, as termas também disponibilizam serviços direcionados para o repouso, bem-estar e beleza. As águas da Fonte Santa de Monfortinho são hipomineralizadas, bicarbonatadas, sódicas cálcicas e magnésicas, e por isso são particularmente indicadas para problemas de pele, com destaque para a psoríase.

8. Termas de Unhais da Serra

Parque Natural da Serra da Estrela. Por peuplier

Situadas no coração do Parque Natural da Serra da Estrela, as Termas de Unhais da Serra são o primeiro spa português de montanha e um dos maiores da Europa. A estância termal está dividida em quatro áreas específicas: uma área com enfoque nas doenças respiratórias; um centro de osteopatia e fisioterapia; um espaço que associa a filosofia oriental a técnicas estéticas de elevada qualidade; e uma área com piscinas temáticas.

As Termas de Unhais da Serra oferecem um amplo conjunto de serviços terapêuticos e estéticos direcionados especificamente para a prevenção e reabilitação física e espiritual. As águas destas termas são usadas predominantemente no tratamento de doenças dos ouvidos, nariz e garganta, sistema músculo-esquelético, trato gastrointestinal, sistema circulatório e reumatismo.

9. Termas das Caldas de Aregos

Caldas de Aregos. Por Antero Pires

É nas encostas do Douro, em Resende, que ficam as Termas de Caldas de Aregos. Procuradas desde o século XII pelo valor ímpar das suas águas, a rainha D. Mafalda chegou mesmo a mandar construir no local uma albergaria, em 1102, que seria a precursora dos diversos balneários que foram posteriormente construídos.

Hoje em dia, as termas dispõem de equipamento moderno que permite a aplicação das mais recentes técnicas termais para a prevenção e cura termal, oferecendo vários serviços e tratamentos, entre os quais o spa, centro de reabilitação e rendimento atlético, piscina termal, turco termal, ginásio e massagens.

10. Termas da Ferraria

Miradouro da Ponta da Ferraria. Por José Luís Ávila Silveira/Pedro Noronha e Costa

O lugar da Ferraria situa-se no extremo sudoeste da ilha de São Miguel, nos Açores, uma zona de proteção da natureza composta por diversas estruturas de origem vulcânica de grande valor paisagístico e científico. Para além da sua beleza e interesse científico, o lugar da Ferraria tem também duas nascentes de águas termais de origem vulcânica que aquecem as piscinas naturais e abastecem o seu complexo termal. As qualidades terapêuticas destas águas termais levaram a que este se tornasse um local muito visitado na ilha.

Consideradas um caso único no mundo, devido à existência de água salgada termal com um teor de enxofre muito elevado, as águas da Ferraria, além de curarem problemas de reumatismo e nevrites, são também usadas para tratar de doenças de outros foros.

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.