Adraga

Por the_stalkerpt

O Parque Natural Sintra-Cascais é serra e mar. A sua costa olha o Atlântico de frente. Aqui as águas são frias e revoltas. O relevo é feito desafios radicais em forma de arribas que escondem recantos de areia. É a natureza em estado quase puro para conhecer o ano inteiro.

1. Praia da Adraga

Praia Adraga, Sintra

Por vitfedotov

Primeiro é preciso enfrentar a Serra de Sintra, só depois se ganha a areia e o mar: pela frente há a sinuosa Nacional 247. Se se chegar à Vila de Almoçageme é porque a prova está superada. Agora é sempre a descer até à Praia da Adraga, uma maravilha escondida pela mão da natureza por entre arribas. Passear por aqui, seja em que estação do ano for, é um prazer imenso. Túneis, grutas e rochedos desenham a paisagem, enquanto as pedras salpicam as águas. Para norte fica a Praia Grande; a sul segue-se a Praia da Ursa. Esta paragem é muito concorrida pela sua beleza, mas há outros motivos, daqueles que tocam ao paladar; os apreciadores de peixe e marisco desta costa podem deliciar-se no restaurante familiar, de várias gerações, nesta praia.

2. Azenhas do Mar

Azenhas do Mar Sintra Portugal

Por Antonio Gaudencio

Na ponta norte do Parque Natural Sintra-Cascais há uma aldeia debruçada sobre o mar. As casas caiadas parecem encaixadas em anfiteatro do cimo ao sopé da encosta. Cá em baixo uma a piscina oceânica debruça-se à beira-mar. A imagem é perfeita; são as Azenhas do Mar. O nome vem das muitas azenhas que em tempos antigos aqui existiam para tirar partido da energia das águas. Da praia pouco se vê, sobretudo se for maré alta. O miradouro é lugar de visita obrigatória.

3. Praia Grande

Praia Grande. Portugal.

Por vovik_mar

O nome diz tudo: um amplo areal estende-se ao longo de 750 metros, aliando-se ao mar de ondas perfeitas para manobras de prancha. Os campeonatos de surf e bodyboard fazem dela um spot obrigatório. Para quem prefira um mar mais flat existe a alternativa da piscina de água salgada, no Hotel Arribas, envolta pelo ar do mar. Oferece 100 metros de comprimento para mergulhos e braçadas, ou seja, tal como a praia é bastante grande. Os pescadores também são atraídos para estas águas, de muito e bom peixe, sobretudo na sua zona mais escarpada. Parece que os dinossauros também apreciavam a região. Prova disso mesmo são os fósseis das suas pegadas que se podem encontrar nas arribas à volta.

4. Praia de S. Julião

Por Filipemigu

Por estar localizada no limite norte do Parque Natural Sintra-Cascais pertence a dois Concelhos, Mafra e Sintra. É a Ribeira do Falcão que, de forma natural, fez esta divisão do território (e a favor de Sintra). As suas águas, ao descerem, muitas vezes formam uma lagoa no areal. Quem mais procura esta praia são os amantes do surf e bodyboard. Independentemente do concelho de onde venham sabem que aqui as ondas são maiores e haverá sempre espaço para todos num areal de 500 metros.

5. Praia das Maçãs

Praia das Maçãs

Por moedas1

As maçãs não nascem nas praias, mas podem aí desaguar. Que o digam os pomares de macieiras, por entre os quais a Ribeira de Colares corria, carregando a fruta madura caída das árvores, até chegar no mar. Foi assim que as maçãs se colaram ao nome deste pedaço de costa, sempre muito concorrido por famílias de Sintra e Colares. Facilitou muito a ligação de elétrico, desde o coração da vila de Sintra até beira-mar. A Praia das Maçãs é um lugar bastante concorrido, com uma oferta de cafés, restaurantes e comércio variado. O bodyboard e o surf também trazem muita gente para estas paragens.

6. Praia do Magoito

Praia do Magoito

Por moedas1

Neste lugar de mar revolto, a tocar numa arriba imponente, a paisagem guarda um estado puro. A Praia do Magoito provoca arrepios pela sua beleza mas também pela temperatura das águas. Dela deve aproveitar-se a riqueza em iodo, benefício para a saúde e para a imagem quando se quer morena. Se a visita coincidir com a Sexta-feira Santa manda a tradição que este dia seja dedicado à apanha de mexilhão por estes lados.

7. Praia Pequena

Os opostos atraem-se? Claro que sim: a seguir à Praia Grande vem esta pequena joia. As praias não se medem aos palmos, prova disso mesmo é a popularidade da Praia Pequena. Por ser mais abrigada do vento que fustiga esta costa aberta ao oceano ganha pontos às vizinhas em volta. Talvez por isso mesmo seja bastante procurada por pescadores desportivos e gente que se atira ao mar com as suas pranchas.

8. Praia da Samarra

No planalto de S. João de Lampas descobre-se esta enseada onde a Ribeira da Samarra vai desaguar, misturando-se com o salgado do Atlântico. Para chegar a estes pouco mais de 50 metros de areal é preciso espírito aventureiro, já que se tem de descer a arriba em declive. Uma vez na praia percebe-se como esta fica encravada e escondida numa moldura rochosa. Fauna e flora vivem aqui ao abrigo da mão humana. O silêncio e a beleza deste lugar atrai sobretudo amantes da natureza, de desportos radicais, pescadores e mergulhadores submarinos.

9. Praia da Ursa

Praia da Ursa

Por Henrique Silva

“Concentrado de beleza selvagem” é uma descrição possível para esta exígua língua de areia com pouco mais de 50 metros, abrigada entre arribas. Diz-se que é a praia mais ocidental da Europa. Chegar até ela não é fácil, mas vale o esforço só pelo prazer de ver as escarpas pontiagudas e rochedos de formatos sugestivos que afloram do mar. Na verdade, foi a imaginação do olhar sobre estas pedras que deu nome a este pedaço de terra. Uma lenda, pois claro, explica tudo: noutros tempos viveria por aqui uma ursa com as suas crias. Certo dia, quando os gelos começaram a derreter na Serra de Sintra, os deuses pediram ao animal para se ir embora. Como a ursa não obedecesse às ordens divinas, mãe e filhos foram transformados em pedra. Seriam eles o rochedo grande e os mais pequenos à sua volta que hoje se avistam no mar, mesmo defronte à praia.

10. Praia da Vigia ou da Assafora

Praia da Vigia, Portugal

Por zhekos

Se se pudesse sobrevoar a Praia da Vigia, vindo do mar em direção a terra ver-se-ia uma imponente parede de arriba, de aspeto escarpado, a cair quase a pique sobre o areal bem lá em baixo. Pela descrição percebe-se que os acessos são difíceis. Daí a sugestão para aproveitar a maré vazia e chegar a esta extensão dourada, grosso modo de 2 quilómetros, a partir Praia de S. Julião, a sua vizinha imediata.

Casas de campo em Sintra

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.