Serras da Freita e Arada

Serras da Freita e Arada. Por Rosario Almeida

O nome atribuído ao conjunto das serras da Freita, Arada e Arestal, pertencentes ao maciço da Gralheira, e da serra do Montemuro, inserida no maciço com o mesmo nome, não foi escolhido ao acaso. Há de facto um efeito encantatório neste território entre os rios Douro e Vouga que faz com que a marca Montanhas Mágicas seja o nome mais apropriado.

Este é um conjunto montanhoso que atravessa sete municípios: Sever do Vouga, Castro Daire, São Pedro do Sul, Arouca, Castelo de Paiva, Vale de Cambra e Cinfães. Este é um território de excecionais valores naturais e culturais, certificado como destino turístico sustentável desde novembro de 2013. As Montanhas Mágicas englobam quatro sítios da Rede Natura 2000 e um geoparque da UNESCO, promovendo um modelo turístico responsável e sustentável, focado no ecoturismo, no geoturismo e no turismo ativo.

Há muito para descobrir e muitas atividades para todos os gostos nas Montanhas Mágicas. Deixamos-lhe aqui 10 sugestões para explorar este destino tão especial.

1. Rota da Água e da Pedra

Rio Paiva. Por Vítor Oliveira

Nas Montanhas Mágicas a água e a pedra são elementos protagonistas e por isso foi criada a Rota da Água e da Pedra, que destaca o património natural e cultural da região, centrado nos rios e nas serras.

A rota está dividida por nove linhas que cobrem as serranias entre o Douro e o Vouga. Cada linha é constituída por locais a visitar, como cascatas, ribeiras de águas límpidas, fenómenos geológicos, moinhos, minas e fósseis, sinalizados com painéis informativos.

2. Passadiços do Paiva

Passadiços do Paiva

Passadiços do Paiva. Por Joseolgon

Dispensam qualquer apresentação mas não podiam deixar de figurar nesta lista. Os Passadiços do Paiva são os mais conhecidos e premiados passadiços em Portugal, atraindo por isso milhares de pessoas todos os anos. Este percurso que liga as praias fluviais do Areinho e de Espiunca tem cerca de 8,7 km de extensão.

A construção de madeira acompanha o rio Paiva, no Geopark de Arouca, no distrito de Aveiro. As descidas e subidas acentuadas elevam o grau de dificuldade deste percurso de cerca de 2h30. É também aqui que está a ser construída a maior ponte pedonal suspensa do mundo, que atrairá com certeza ainda mais turistas.

3. Desportos de aventura

Para quem gosta de desportos de aventura e de atividades ao ar livre, as Montanhas Mágicas são o sítio ideal. Aqui tem à disposição uma grande variedade de desportos para praticar com amigos ou em família, para todos os gostos e idades.

Desafie as águas bravas do rio Paiva numa atividade de rafting ou kayaking; vença exigentes trilhos de montanha em BTT; passeie de bicicleta na Ecopista do Vouga; explore rios selvagens praticando canyoning; divirta-se numa atividade de stand up paddle ou canoagem. Há ainda atividades de orientação, arvorismo, slide e rapel, escalada e paintball.

4. Termas

Termas de São Pedro do Sul. Por Lusitana

Na sua passagem pelas Montanhas Mágicas poderá ainda aproveitar para relaxar nas históricas Termas de São Pedro do Sul ou nas reconhecidas Termas do Carvalhal. Nas margens do rio Vouga, em Várzea, as Termas de São Pedro do Sul são uma das maiores do país e integram a lista de uma das melhores porque, além de serem das mais antigas, aproveitam as águas terapêuticas da zona. Com um alto teor de minerais, as águas chegam à superfície a cerca de 68.7º C o que, conjugado com as suas propriedades, reúne as condições para o tratamento de várias doenças.

Quanto às Termas do Carvalhal, situam-se concelho de Castro Daire e as suas águas são benéficas para as vias respiratórias, para a prevenção e cura de problemas de pele, mas também no tratamento dos ossos e reumatismo.

5. Fauna e flora

As Montanhas Mágicas albergam inúmeras espécies animais, algumas delas raras e protegidas, como o lobo-ibérico e a toupeira-de-água. O falcão-peregrino e o bufo-real encontram nas escarpas lugares perfeitos para procriar. A lontra está presente em todos os rios, juntamente com o melro-de-água, que aprende a nadar antes de começar a voar. O rio Paiva é conhecido pelas suas trutas e as enguias e lampreias continuam a subir o rio Vouga.

As condições do relevo e o clima predominante nas Montanhas Mágicas proporcionam as condições ideais para a existência de uma flora exuberante e diversificada, com extensas áreas de flora nativa e diversas espécies raras. Algumas das espécies mais importantes são o feto-vaqueiro, o narciso-das-turfeiras, o mirtilo, o lódão-bastardo, o azevinho ou a fritilária estão presentes em alguns rios.

6. Museus

Pedras parideiras

Pedras parideiras. Por Cssantos

Para descobrir ainda mais sobre este território e entender os seus habitantes, propomos a visita a um ou vários museus ou centros de interpretação integrados nas Montanhas Mágicas. Os museus municipais e rurais reúnem o património arqueológico, etnográfico, agrícola, vinícola, mineiro, que melhor representa e caracteriza a história, a cultura, os usos, costumes e tradições do território.

Os museus temáticos valorizam diferentes tipos de património cultural e natural, nomeadamente a arte sacra, personalidades históricas, termas, e fósseis de trilobites. Os centros de interpretação estão, na sua maioria, associados à valorização e preservação da natureza e do meio ambiente, nomeadamente da biodiversidade e da geodiversidade do território, numa perspetiva de sustentabilidade.

Se tiver que escolher de entre as muitas opções disponíveis, sugerimos-lhe que visite a Casa das Pedras Parideiras, o Museu de Arte Sacra e o Museu Etnográfico Quinta da Granja.

7. Mosteiros e santuários de montanha

Calvário de Arouca

Calvário de Arouca. Por Carlos Alberto Correida de Pinho

Devido à fé e devoção dos seus habitantes, as Montanhas Mágicas são férteis em património religioso que se traduz numa profusão de santuários de montanha, igrejas, capelas, alminhas, cruzeiros e outros lugares sagrados como mosteiros, calvários e vias sacras. O valor patrimonial destes templos e espaços religiosos é indiscutível, refletindo estilos arquitetónicos e artísticos de diferentes períodos históricos.

A escolha é imensa, mas se tiver mesmo que optar, não pode deixar de visitar o Mosteiro de Arouca, monumento nacional e a jóia da cidade. No interior é possível visitar a igreja com o seu majestoso conjunto formado pelo altar-mor, o túmulo da rainha Santa Mafalda, oito capelas, vitrais, o coro das freiras e um impressionante cadeiral barroco com 104 assentos personalizados. Ainda em Arouca, visite também o calvário, que é composto por um conjunto de seis cruzeiros seiscentistas, um púlpito e um nicho, em granito, erguido num maciço rochoso a norte da vila.

8. Gastronomia e vinhos

Cabrito assado

Cabrito assado. Por MunParedes

A região das Montanhas Mágicas é um paraíso para os amantes da boa comida e de bons vinhos. A rica e diversificada gastronomia local tem a sua origem em usos, costumes e saberes ancestrais, refletindo a qualidade dos produtos locais provenientes da agricultura, da pastorícia e, em menos escala, da pesca, à qual se junta a mestria dos temperos e a arte de bem cozinhar.

A carne arouquesa e o cabrito da Gralheira estão na origem dos principais pratos típicos do território. Do extenso menu de iguarias destacamos a vitela arouquesa assada no forno, a posta arouquesa grelhada na brasa, a vitela à Lafões, os bifes de Alvarenga e o cabrito da Gralheira assado no forno.

Para além da carne, também há pratos de lampreia e sável, especialmente nos primeiros meses do ano. Descubra todos estes deliciosos pratos e acompanhe-os com um bom vinho verde ou da região Dão/Lafões, terminando com um delicioso doce conventual ou regional.

9. Praias fluviais

Praia Fluvial do Areinho

Praia Fluvial do Areinho. Por Vítor Oliveira

Nos meses de verão, poderá refrescar-se numa das praias fluviais das Montanhas Mágicas. Em pleno contacto com a natureza, desfrute da água refrescante e cristalina dos rios da montanha. Para além da qualidade da água, estes espaços oferecem um conjunto de equipamentos e serviços para comodidade dos seus visitantes, bem como vigilância, durante a época balnear.

Sugerimos-lhe a Praia Fluvial do Areinho, ponto de partida ou chegada dos Passadiços do Paiva; a Praia Fluvial de Folgosa; a Praia Fluvial da Quinta do Barco; e a Praia Fluvial de Burgães.

10. Aldeias tradicionais

Drave

Aldeia de Drave. Por João Nuno Brochado

Conhecer as aldeias situadas nas extensas cadeias montanhosas dos maciços da Gralheira e do Montemuro é uma espécie de viagem ao passado. Aqui poderá apreciar a arquitetura típica e intacta destas aldeias e a genuinidade das tradições, usos e costumes dos seus habitantes.

São dezenas de aldeias para descobrir, com características arquitetónicas e culturais únicas. Quer fiquem localizadas no sopé da montanha ou empoleiradas nos socalcos das encostas serranas, todas têm um encanto especial. Destacamos a beleza da paisagem da aldeia de Boassas; as bonitas casas de xisto decoradas com flores coloridas da aldeia da Pena; e as pequenas cascatas e lagoas de águas cristalinas da aldeia de Drave.

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.