Magazine Natureza 10 razões para visitar o Parque Nacional da Peneda-Gerês

10 razões para visitar o Parque Nacional da Peneda-Gerês

4 Shares

Já passaram 50 anos desde que o primeiro e único parque nacional português foi criado em maio de 1971. São 70 mil hectares de serra e natureza em estado puro que fazem do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) um dos lugares mais incríveis de Portugal. 

Parque Nacional da Peneda-Gerês
Parque Nacional da Peneda-Gerês. Por Gabriel González

O PNPG estende-se do planalto de Castro Laboreiro ao da Mourela, abrangendo as serras da Peneda, do Soajo, Amarela e do Gerês, atravessando cinco concelhos – Melgaço, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Terras de Bouro e Montalegre – e 22 freguesias . 

Esta área protegida, que em 2019 recebeu cerca de 100 mil visitantes, esconde relíquias arqueológicas, cascatas impressionantes, trilhos pedestres e flora e fauna espetaculares. Este é um lugar que merece uma visita em qualquer altura do ano, porque em cada visita há um novo recanto para descobrir e uma paisagem em constante mutação.

1. Mata de Albergaria

Mata da Albergaria
Mata de Albergaria. Por Razevedo172010

Constituída predominantemente por um carvalhal secular que inclui espécies características da fauna e da flora geresianas, a Mata de Albergaria é um dos mais importantes bosques do PNPG. 

Aqui, irá também encontrar um troço da Geira – Via Romana XVIII, com as ruínas das suas pontes e um significativo conjunto de marcos miliários. Esta via romana ligava duas importantes cidades do noroeste da Península Ibérica: Bracara Augusta, atualmente a cidade de Braga, e Asturica Augusta, atual cidade espanhola de Astorga.

2. Cascatas

Cascata do Arado
Cascata do Arado. Por Razevedo172010

O Parque Nacional da Peneda-Gerês tem algumas das mais belas cascatas, que ao se despenharem entre as rochas se transformam em autênticas piscinas naturais. São inúmeras as quedas de água que encontrará pelo parque, devido à abundância de água nesta região, mas algumas das mais conhecidas são a Cascata do Arado, a Cascata de Fecha de Barjas – também conhecida como Cascata do Tahiti -, a Cascata da Portela do Homem, e a Cascata de Pincães e a sua piscina natural.

3. Soajo

Soajo
Soajo. Por Vitor Oliveira

A bonita vila de Soajo é famosa pelos seus tradicionais espigueiros construídos em pedra. Aprecie as vistas sobre o rio Lima e sobre as montanhas a perder de vista e mergulhe nas tradições desta típica vila minhota. Para explorar Soajo e toda a zona envolvente, o melhor é partir à descoberta e fazer um dos trilhos pedestres desta área protegida, como o trilho Caminhos do Pão e Caminhos da Fé.

4. Albufeira da Caniçada

Albufeira da Caniçada
Albufeira da Caniçada. Por Clarisse Cunha

A Albufeira da Caniçada é o centro dos desportos aquáticos do Parque Nacional da Peneda-Gerês. Aqui pode praticar wakeboard, andar de caiaque, de mota de água ou de barco, entre muitas outras atividades. 

É também na Albufeira da Caniçada que encontra algumas das melhores praias fluviais da região, como a praia de Alqueirão, uma das mais conhecidas do Gerês. É a única praia fluvial do PNPG distinguida com o galardão de qualidade de ouro.

5. Lindoso

Lindoso
Lindoso. Por Cardilio

A aldeia de Lindoso é outro dos pontos essenciais do parque nacional. Aqui fica o castelo de Lindoso, do século XIII, em bom estado de conservação, e os 60 espigueiros que o rodeiam. No interior desta fortaleza, classificada como Monumento Nacional desde 1910, destaca-se a sua torre de menagem, que atinge os 15 metros de altura, e um museu com exposições permanentes.

6. Castro Laboreiro

Castelo de Castro Laboreiro.
Castelo de Castro Laboreiro. Por Harpagornis

Com uma localização privilegiada, a 1033 metros de altitude, e com vistas impressionantes à sua volta, ergue-se o castelo de Castro Laboreiro, a sul da aldeia, no concelho de Melgaço. As ruínas medievais desta fortificação ainda conservam as suas paredes e portões, sendo a mais conhecida a Porta do Sapo.

Numa visita ao centro de Castro Laboreiro encontrará casas típicas em granito, uma igreja, um pelourinho, a Ponte Velha e o núcleo museológico, onde poderá descobrir a história e os usos e costumes dos seus habitantes.

7. Pitões das Júnias

Pitões das Júnias
Pitões das Júnias. Por José Antonio Gil Martínez

A 1200 metros de altitude encontra-se Pitões das Júnias, aldeia que remonta as suas origens ao Mosteiro de Santa Maria das Júnias, construído entre os séculos IX e XI. As ruínas deste belo templo e as cabanas de colmo, típicas da região, são dois dos principais elementos que não pode deixar de visitar neste recanto do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Para além do mosteiro, Pitões das Júnias tem também uma bela cascata e um miradouro com vistas de cortar a respiração.

8. Santuário da Nossa Senhora da Peneda

Santuário de Nossa Senhora da Peneda
Santuário de Nossa Senhora da Peneda. Por Nmmacedo

O Santuário de Nossa Senhora da Peneda situa-se num lugar recôndito e de uma beleza única em pleno Parque Nacional Peneda-Gerês, em Arcos de Valdevez. O santuário foi construído entre os finais do século XVIII e o terceiro quartel do século XIX. A igreja foi terminada em 1875. Diante da igreja encontra-se o escadório das virtudes, com estátuas representando a fé, a esperança, a caridade e a glória.

O templo enquadra-se perfeitamente na montanha, com 20 capelas ao longo do vale, evocando cenas bíblicas. Um enorme rochedo – o penedo das Meadinhas – domina o local com os seus 300 metros de altura e completa a paisagem, tornando o santuário ainda mais pitoresco e único.

9. Miradouro da Pedra Bela

Miradouro da Pedra Bela
Miradouro da Pedra Bela. Por jucrb

O Miradouro da Pedra Bela é sem dúvida um dos lugares mais bonitos para apreciar a beleza do Parque Nacional da Peneda-Gerês, em especial ao fim de tarde quando o sol se põe sobre as montanhas. 

Situado a 800 metros de altitude, em Terras de Bouro, este é um dos locais mais famosos do Gerês. Dali pode ver as montanhas, a albufeira da Caniçada, os rios que serpenteiam a serra, a confluência do rio Cávado com o rio Caldo. A Pedra Bela sempre esteve envolvida numa aura mística e os mais antigos diziam até que foi a mão divina que a colocou ali.

10. Ponte da Misarela

Ponte da Misarela
Ponte da Misarela. Por Bert Kaufmann

Apesar de a ponte da Misarela não se situar dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês – por apenas dois quilómetros de distância – seria uma pena se não fizesse um pequeno desvio para admirar esta maravilha.

Também conhecida por ponte do Diabo – de acordo com uma lenda local, a ponte teria sido construída pelo próprio Diabo -, esta ponte foi construída na Idade Média e reconstruída no século XIX, após os ataques das tropas napoleónicas. A ponte de Misarela está situada sobre o rio Rabagão, afluente do rio Cávado, fronteira natural do parque.

10 casas de campo perto do Parque Nacional da Peneda-Gerês

Sugerimos-lhe 11 casas de campo dentro dos mais de 70 hectares que compõem o Parque Nacional da Peneda-Gerês e nos arredores.

Read more

4 Shares

Artigos relacionados

Faça um comentário

Ao clicar em ENVIAR aceita a privacidade

Copy link
Powered by Social Snap