Sortelha. Por Fotoeventis

De há três anos a esta parte que as doze Aldeias Históricas de Portugal arrancam para uma festa em junho que só termina em dezembro. É metade do ano a celebrar o que de mais genuíno Portugal tem. O ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” integra doze eventos que dão vida às lendas e aos mitos destas aldeias, através de animação de rua, visitas teatralizadas, workshops, música e muita festa.

O ciclo consiste num conjunto de eventos, promovidos em cada uma das doze Aldeias Históricas de Portugal, dando vida àqueles lugares e oferecendo momentos inesquecíveis às comunidades locais e visitantes.

O ponto de partida de cada evento está sempre em algo que pertence à memória coletiva de cada aldeia, como uma personagem, uma lenda ou um conto tradicional, um acontecimento histórico ou um elemento patrimonial. Assim, as histórias das Aldeias Históricas de Portugal saem dos livros e do imaginário da comunidade e ganham vida e corpo nas ruas de cada aldeia.

Piódão. Por leoks

O programa de cada localidade tem a duração mínima de dois dias e conta com a participação ativa da comunidade dessa aldeia, em estreita colaboração com artistas profissionais. Os produtos distintivos de cada aldeia também estão em destaque, nomeadamente em mercados de rua, onde se promove o que cada localidade tem de melhor para oferecer.

O ciclo começa na Aldeia Histórica de Sortelha, decorrendo aqui de 28 a 30 de junho, e só termina no final do ano, com o último evento a acontecer na Aldeia Histórica de Belmonte, de 27 a 30 de dezembro.

Depois de Sortelha, o ciclo prossegue com eventos no Piódão (6 e 7 de julho), Linhares da Beira (12 a 14 de julho), Marialva (20 e 21 de julho), Castelo Novo (27 e 28 de julho), Castelo Rodrigo (6 e 7 de setembro), Castelo Mendo (20 e 21 de setembro), Trancoso (4 a 6 de outubro), Idanha-a-Velha (1 a 3 de novembro), Monsanto (8 a 10 de novembro), Almeida (21 e 22 de dezembro) e Belmonte (27 a 30 de dezembro).

Idanha-a-Velha. Por Peek Creative Collective

Em edições anteriores, já se contou, por exemplo, a lenda da ‘Maria Alva, Pés de Cabra’, cuja origem se perde no tempo e está relacionada com o nome da própria aldeia, a Marialva; já Almeida deu a conhecer a história da sua queda, em 1810, cuja história se perde no tempo; por sua vez, Castelo Novo partilhou a história da grande batalha que se terá travado na Serra da Gardunha, entre seres extraterrestres, com luzes misteriosas no céu e muito, muito mistério.

Para este ano, muitas histórias estão para contar e serão reveladas em mais um evento de sucesso que promove a portugalidade. E em 2019 com uma outra novidade.

Depois de, em 2018, as Aldeias Histórias de Portugal se terem tornado no primeiro destino em rede – um destino que afinal são doze – e no primeiro destino a nível nacional a receber o certificado Biosphere Destination, entregue pelo Instituto de Turismo Responsável, este ano, o ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” é também o primeiro ciclo de eventos em rede, a nível internacional, com certificado Bisophere© Events. Ou seja, este conjunto de eventos já é apresentado de acordo com os requisitos internacionais de sustentabilidade. Um selo que distingue um tipo de turismo que se pretende no presente e no futuro.

Monsanto. Por milosk50

Perdidas entre montes e vales da verdejante paisagem do interior de Portugal, repletas de lendas e castelos, sabores e tradições, estas 12 singelas aldeias fazem com que nos percamos no tempo. Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso: as Aldeias Históricas de Portugal, um destino que são 12, são paraísos escondidos que nos levam numa viagem à época dos reis e rainhas, e de épicas e infinitas batalhas que escreveram a História como a conhecemos hoje.

Assim, descobrir estas aldeias é ir ao encontro da História de um país de temerários conquistadores, através das pedras das suas calçadas e das suas frondosas muralhas e castelos, orgulhosa e imponentemente erguidos. É, ainda, a garantia de momentos inesquecíveis de lazer, aventura e descoberta, temperados com os inigualáveis aromas e sabores da região, que compõem a sua típica gastronomia.

No território das Aldeias Históricas de Portugal há um sem fim de trilhos para caminhadas e percursos de bicicleta e BTT – como a Grande Rota 22 (GR), a maior rota de Walking & Cycling em Portugal, com cerca de 600 km. E há também estes seis meses de festa para descobrir in loco as suas histórias, que lhes deram a sua alma tão peculiar.

Casas de campo em Aldeas Históricas de Portugal

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.