Magazine Natureza As cinco ilhas da Ria Formosa

As cinco ilhas da Ria Formosa

0 Shares

A região do Algarve é muito conhecida, tanto em Portugal como além-fronteiras, pelas suas incríveis praias de extensos areais e águas cristalinas. Mas, fora dos circuitos mais turísticos, existe um paraíso por descobrir onde a fauna e a flora coexistem em perfeita harmonia: o Parque Natural da Ria Formosa.

Ria Formosa
Ria Formosa. Por Reinaldo

Reserva natural desde 1978, a Ria Formosa é uma zona húmida situada entre o mar e a costa do Algarve e é uma das mais belas preciosidades naturais da região, tanto pela diversidade dos seus habitats como pela sua peculiar localização. 

Eleita, em 2010, uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal, a Ria Formosa é um vasto ecossistema que se estende por uma área de cerca de 18 mil hectares, ao longo de 60 quilómetros, desde a Península do Ancão até à Manta Rota, abrangendo os concelhos de Loulé, Faro, Olhão, Tavira e Vila Real de Santo António.

Protegido por um cordão dunar arenoso litoral, o Parque Natural da Ria Formosa inclui uma grande diversidade de ecossistemas: ilhas, praias, dunas, sapais, bancos de areia, salinas, lagoas, canais. Isto propicia também uma enorme variedade de flora e de fauna, incluindo numerosas espécies de aves, como a galinha-sultana, símbolo do parque.

Longe das multidões, as cinco ilhas quase secretas que servem de barreira entre o mar e a Ria Formosa são o cenário ideal para um verão tranquilo e paradisíaco. Descubra o lado mais selvagem da costa algarvia.

1. Ilha da Barreta

Ilha da Barreta
Ilha da Barreta. Por Animaris

Sendo umas das poucas ilhas da Ria Formosa que, historicamente, não regista ocupação permanente, a Barreta tornou-se conhecida entre pescadores como “A Deserta”. Com cerca de 10 quilómetros de comprimento e apenas 700 metros na sua maior largura, a ilha da Barreta é um pequeno paraíso pouco frequentado.

Para além das cabanas de arrumos dos pescadores, um restaurante e um passadiço que percorre a Ria até ao lado mar, aqui só encontramos areias douradas e águas quentes e cristalinas. Intocada ao longo de muitos anos, a sua biodiversidade e beleza natural são surpreendentes. É possível chegar até à ilha da Barreta através do serviço regular de barcos a partir de Faro ou em barco-táxi.

2. Ilha da Culatra

Ilha da Culatra
Ilha da Culatra. Por João Domingos

Com sete quilómetros de extensão, a ilha da Culatra é habitada durante todo o ano, maioritariamente por pescadores e pelas suas famílias. Os habitantes da ilha distribuem-se por três povoações: Farol, Hangares e Culatra. Enquanto o Farol e a Culatra nasceram com a chegada de pescadores das terras em volta, curiosamente Hangares era a base dos hidroaviões que vigiavam a costa sul.

Acessível apenas por barco, as suas águas transparentes proporcionam uma visibilidade de cerca de 15 metros, perfeita para os praticantes de mergulho. O areal extenso convida ao descanso e à tranquilidade.

3. Ilha da Armona

Ilha de Armona
Ilha de Armona. Por Juntas

A poucos minutos de barco da cidade de Olhão é possível usufruir de momentos de tranquilidade e mergulhar nas águas cristalinas da ilha da Armona. Com mais de seis quilómetros de extensão, esta ilha apresenta tanto praias voltadas para a Ria como para o mar. 

Com parque de campismo e bastante oferta de alojamento particular, a ilha da Armona é uma das ilhas mais frequentadas da Ria Formosa. Apesar disso, na ilha não circulam carros para além de veículos de emergência e limpeza.

A ocidente encontramos a praia da Armona, enquanto que, no extremo leste da ilha, em frente à povoação da Fuseta, fica a praia com o mesmo nome. Na linha oposta ao mar, é muito comum ver os mariscadores na apanha de bivalves, atividade a que se juntam também muitos turistas na mudança das marés.

4. Ilha de Tavira

Ilha de Tavira
Ilha de Tavira. Por Hendrik Dacquin

A ilha de Tavira oferece uma enorme extensão de areal – 11 quilómetros -, águas tranquilas e infraestruturas de praia, incluindo um parque de campismo. Por isso, esta ilha é muito procurada pelos turistas. Os sapais e pequenos canais da Ria Formosa adjacentes à ilha constituem ótimos locais para a observação e estudo de aves marinhas.

A ilha possui quatro praias: a praia de Tavira, a praia da Terra Estreita, a praia do Barril e a praia do Homem Nu. Na região ocidental da praia do Barril é comum a prática de naturismo. O acesso à ilha é feito através de barcos que partem de Tavira ou do cais das Quatro Águas. Pode também chegar à praia do Barril a pé por uma ponte que se situa junto a Pedras D’El Rei ou pelo comboio turístico que parte do mesmo lugar.

5. Ilha de Cabanas

Ilha de Cabanas
Ilha de Cabanas. Por Ivo Gomes

Começou por chamar-se ilha da Abóbora, mas já na altura a ilha de Cabanas fazia parte do areal que ia desde a Fuzeta até Cacela Velha. Até ao final do século XX ainda era possível chegar à ilha a pé durante a maré vazia mas, depois do reforço do sistema dunar, tal tornou-se complicado. 

Toda a ilha consiste num extenso cordão litoral arenoso, cujas formações dunares se encontram revestidas de vegetação endémica e servem de habitat a várias espécies. Com apenas 70 metros de largura, a ilha tem cerca de sete quilómetros de comprimento.

O acesso preferencial à ilha é feito de barco e a viagem demora poucos minutos, uma vez que o braço de Ria que separa a ilha da margem continental é bastante curto.

Cacela é Moura

Cacela Velha pertence a um Algarve onde o mar, a Ria Formosa e a terra são um todo.

Read more

0 Shares

Artigos relacionados

Faça um comentário

Ao clicar em ENVIAR aceita a privacidade

Copy link
Powered by Social Snap