Magazine Slider As praias mais especiais de Portugal

As praias mais especiais de Portugal

Ilhéu de Vila Franca
Ilhéu de Vila Franca. Por Quentin

Praias há muitas, mas há algumas que têm algo que as diferencia das outras e são de alguma forma especiais e curiosas. Algumas dessas praias nem sempre têm os acessos mais fáceis, mas garantimos que vale a pena o esforço para depois desfrutar de lugares únicos e incríveis. Outras são internacionalmente conhecidas e, por isso, vai ter que disputar o seu lugar com dezenas de outros turistas que também querem um pedaço de paraíso. Deixe-se surpreender por algumas das praias mais especiais de Portugal. 

1. Praia da Marinha, Lagoa

Praia da Marinha
Por Klugschnacker

Rodeada por uma falésia alta esculpida pela erosão, a praia da Marinha é considerada uma das 10 praias mais bonitas da Europa e, em 2007, o Guia Michelin atribuiu-lhe a distinção de uma das cem praias mais bonitas do mundo. Este recanto de natureza preservada, quase em estado selvagem, fica localizado no concelho de Lagoa e, portanto, é uma das pérolas do Algarve

O tom dourado das falésias combina com o pequeno areal banhado por águas tão transparentes que permitem ver o fundo do mar. Se gosta de fazer snorkeling, este é um ótimo local para ver ouriços, estrelas-do-mar, cavalos marinhos, entre muitas outras espécies de fauna e flora marinha.

O acesso à praia é feito por uma escadaria em madeira que se inicia no topo da falésia, junto ao estacionamento, e continua até chegar finalmente ao areal. Mas antes de descer para a praia e dar um merecido mergulho, percorra a falésia e deslumbre-se com a vista magnífica.

2. Praia das Azenhas do Mar, Sintra

Azenhas do Mar
Por F nando

A praia das Azenhas do Mar é uma praia curiosa, não só por parecer um verdadeiro postal ilustrado, com as casas a descerem em cascata pelo declive da arriba até ao mar, mas também pelo seu pequeníssimo areal de 30 metros desaparecer durante a maré alta. 

No entanto, é uma das praias mais apreciadas pelos banhistas, por causa da piscina oceânica que faz as delícias dos visitantes, especialmente dos mais pequenos. 

Esta antiga aldeia de pescadores tornou-se nas últimas décadas um local de veraneio tranquilo e local de inspiração de muitos pintores como Júlio Pomar, Emílio da Paula Campos ou Milly Possoz.

3. Ilhéu de Vila Franca, São Miguel

Ilhéu de Vila Franca
Por Carlos de Paz

Esta cratera semi-submersa de um vulcão extinto esconde dentro um pequeno paraíso. Situado em frente à povoação de Vila Franca do Campo, a cerca de um quilómetro da costa, o ilhéu de Vila Franca é considerado uma das principais atrações turísticas da ilha de São Miguel.

Classificado como Reserva Natural, tem as paredes da sua cratera revestidas por uma vegetação endémica, enquanto no seu interior existe uma piscina natural com uma forma quase perfeitamente circular, que comunica com o mar por uma estreita passagem. Esta abertura é designada por Boquete e está voltada a Norte, isto é, na direção da costa da ilha, o que impede a entrada da agitação marítima para o interior. As suas águas cristalinas e a pequena praia são excelentes para a prática de mergulho e snorkeling.

Atualmente, os bordos da cratera compreendem dois ilhéus, o ilhéu Pequenino, situado na costa nordeste, e o Ilhéu Grande, que constitui a maior estrutura emergente. A sul do ilhéu erguem-se dois rochedos vulcânicos, curiosamente corroídos pelo mar e ventos, que servem de abrigo às muitas aves marinhas que visitam o ilhéu, tais como cagarros, garajaus, entre outros.

Nos meses de junho a setembro, desde o cais de Tagarete, existe um serviço regular de barco que liga Vila Franca do Campo e o ilhéu.

4. Praia dos Mosteiros, São Miguel

Praia dos Mosteiros
Por barnimages.com

Continuamos em São Miguel, nos Açores, mas desta vez levamo-lo até a uma praia de areia escura de origem vulcânica. A praia dos Mosteiros é conhecida pelo magnífico pôr-do-sol que a contempla e pela presença permanente dos ilhéus dos Mosteiros no horizonte. 

Localizada na freguesia dos Mosteiros, no concelho de Ponta Delgada, esta é uma zona bastante procurada no verão, não só pela praia, mas também pelas piscinas naturais, as Poças Sul de Mosteiros. Os Mosteiros são também um dos melhores lugares da ilha para a observação das aves invernantes.

5. Algar de Benagil, Lagoa

Algarve
Por Nido Huebl

O facto de o Algar de Benagil, também conhecido como Gruta de Benagil, ser de difícil acesso, torna este lugar ainda mais especial e mágico. A cavidade rochosa, cuja forma foi moldada pela ação da natureza ao longo dos tempos, esconde uma praia de areias douradas e águas transparentes. A abertura circular no topo permite à luz do sol entrar e criar um jogo de cores impressionante.

Depois de a revista de viagens Condé Nast Traveller ter colocado, em 2017, o Algar de Benagil na lista das grutas mais bonitas do mundo, o lugar passou a atrair cada vez mais turistas curiosos. Com acesso apenas pelo mar, a melhor forma de aceder à gruta é através de um caiaque ou outra embarcação de pequena dimensão.

6. Praia de Odeceixe, Aljezur

Odeceixe
Por Heinz

Uma praia onde se pode banhar tanto no mar como no rio? Sim, é possível na praia de Odeceixe, no concelho de Aljezur. Composta por uma extensa língua de areia e protegida por altas falésias, tanto a norte como a sul, esta praia é banhada, de um lado, pela Ribeira de Seixe e do outro pelo mar. Durante a maré baixa formam-se pequenas lagoas no areal.

Do topo das arribas poderá desfrutar de uma paisagem única e de enorme beleza e que é parte do habitat privilegiado para a avifauna, proporcionando excelentes condições para a observação de aves, como a cegonha branca, o falcão-peregrino ou a gralha-de-bico-vermelho. Este é de facto o único local do mundo onde é possível observar-se as cegonhas a nidificarem nos rochedos marítimos.

7. Praia da Apúlia, Esposende

Praia da Apúlia
Por Sergei Gussev

Há várias coisas que é comum vermos numa praia, mas moinhos de vento não é assim muito frequente, pelo menos hoje em dia. É precisamente isso que torna a praia da Apúlia, no concelho de Esposende, tão diferente e única.

Acredita-se que os moinhos de vento da praia da Apúlia datam do século XVIII e foram originalmente construídos para moer cereais, sobretudo milho. Situados em plena duna, os moinhos aproveitavam, assim, a forte força dos ventos do local. São construídos em pedra de xisto e têm planta circular e cobertura cónica móvel para assim se adaptar à direção do vento. Muitos tinham dois pisos, servindo um para a moagem e outro para armazenamento.

Hoje, são utilizados como habitação de férias e estão interligados por um conjunto de passadiços de madeira. Fazem igualmente parte de um percurso pedonal de cerca de sete quilómetros inserido no Parque Natural do Litoral Norte, o Trilho das Masseiras.

8. Praia da Samoqueira, Sines

Praia da Samoqueira
Por Alexandre Rotenberg

A vila de Porto Covo, no concelho de Sines, é fértil em praias incríveis e a praia da Samoqueira é um dos recantos mais bonitos da Costa Alentejana. Envolta numa paisagem deslumbrante, e ainda selvagem quanto baste, é sem dúvida um dos mais belos postais do litoral de Portugal.

Integrada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, a praia da Samoqueira convida à descoberta de piscinas naturais, grutas e ilhéus, por entre rochedos e falésias, caso a maré esteja baixa. As escadas de pedra na rocha facilitam o acesso a este local idílico escondido entre falésias escarpadas.

9. Praia da Ursa, Sintra

Praia da Ursa, Sintra
Por Vitor Oliveira

Bem perto do Cabo da Roca fica a praia da Ursa, a praia mais ocidental da Europa. Considerada pelo Guia Michelin como uma das praias mais bonitas do mundo, para poder desfrutar deste cenário paradisíaco vai ter que suar, porque o acesso é difícil e até um pouco perigoso. 

Na estrada, próximo do Cabo da Roca, uma placa sinaliza esta praia, e seguindo a pé por um caminho de terra atinge-se um local ermo onde se encontra uma placa com a indicação “Praia não vigiada”. A partir daí toma-se um carreiro, à esquerda, que percorre a encosta em ziguezagues até à praia. A descida até à praia, encosta abaixo, demora cerca de uma hora.

Uma vez no areal, a vista é assombrosa, com as colossais pedras da Ursa e Gigante a marcarem a linha da costa. Durante a maré baixa é possível descobrir enseadas contíguas: a Palaia, a sul, onde são frequentes os pescadores de percebes, e a Pesqueiro do Abrigo, a norte. Sem qualquer infraestrutura de apoio, o melhor mesmo é levar a sua própria comida e bebida.

10. Praia do Norte, Nazaré

Praia do Norte
Por Luis Ascenso

Esta praia é só para aqueles que têm coração de aço e gostam de emoções fortes. Situada a norte do imponente Promontório da Nazaré, mais conhecido por “Sítio”, a praia do Norte não tem vigilância e possui um ambiente agreste e um pouco selvagem, com dunas que preservam a vegetação original. O mar, bravo e perigoso para nadar ou tomar banho, é muito apreciado pelos surfistas que aqui encontram ondas espetaculares.

A praia do Norte ficou internacionalmente conhecida pelas suas ondas gigantes, que se formam devido ao chamado canhão da Nazaré, um desfiladeiro submarino de origem tectónica situado ao largo da costa desta vila portuguesa. A origem do canhão ainda está envolta em mistério, uma vez que se encontra numa zona geológica complexa.

Considerado como um dos maiores da Europa, este vale submarino estende-se por cerca de 200 quilómetros, desde profundidades abissais de 5 mil metros até cerca de poucas centenas de metros da praia da Nazaré, onde a parte terminal do canhão, chamada a cabeceira do canhão, chega a 150 metros de profundidade.

Ilhéu de Vila Franca

Artigos relacionados

Faça um comentário

Ao clicar em ENVIAR aceita a privacidade

Copy link
Powered by Social Snap