Lisboa

Lisboa. Por mlehmann78

Não é de estranhar que um país como Portugal, com 840 anos de história, tenha tido várias capitais. É provável que pense imediatamente em Guimarães como capital do então Condado Portucalense. Mas a História conta que houve mais três, para além de Guimarães e da atual Lisboa. Não acredita? Então descubra connosco as cinco cidades que já foram capital de Portugal.

1. Guimarães

Castelo de Guimaraes

Castelo de Guimarães. Por Marco Aldeia

A cidade que é apelidada de “berço de Portugal” e que exclama bem alto que “aqui nasceu Portugal” tinha que ser a primeira capital do então Condado Portucalense e depois do país. Guimarães é uma das mais importantes memórias vivas da afirmação e independência de Portugal. Acredita-se que D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal, terá nascido em Guimarães em 1109.

Guimarães guarda os vestígios dos primeiros passos dos portugueses que ainda hoje se mantêm vivos na cidade, conferindo-lhe uma essência e singularidade especial tão procuradas e apreciadas pela população e pelos turistas.

2. Coimbra

Túmulo de D. Afonso Henriques, Coimbra. Por Vitor Oliveira

A partir de 1131, D. Afonso Henriques instalou-se em Coimbra, onde poderia mais facilmente desencadear operações de ataque contra os mouros, estender os territórios do condado e reivindicar um reino. Desta forma, Coimbra renasce e torna-se a cidade mais importante abaixo do rio Douro, tornando-se assim capital de Portugal.

Esta mudança trouxe grandes benefícios para a independência do país, quer a nível económico, como político e social. Até 1255, Coimbra manteve-se capital de Portugal. Foi ainda nesta cidade que faleceu D. Afonso Henriques, em 1185.

3. Lisboa

Terreiro do Paço, Lisboa. Por Nan Palmero

A atual capital de Portugal começou por ser capital com a mudança da família real para esta cidade, que se tornava cada vez mais próspera. Com o desenvolvimento notório do estuário, D. Afonso III conseguiu ver oportunidades para fazer o condado crescer, nomeadamente a facilidade em receber navios de mercadorias.

Apesar de não ter sido oficializado por escrito, Lisboa era considerada capital uma vez que a corte vivia permanentemente aí.

4. Rio de Janeiro

Rio de Janeiro. Por Breogan67

No início do século XIX as invasões napoleónicas assolaram a Europa. Depois do bloqueio de todas as trocas comerciais com Inglaterra, o Príncipe regente D. João, a família real e a sua corte não tiveram outra alternativa que escapar para uma das suas colónias, o Brasil.

Assim sendo, a frota constituída pelo príncipe, a sua mãe D. Maria I, a princesa Carlota Joaquina e as crianças, incluindo D. Pedro que viria a ser o futuro Imperador do Brasil, e mais cerca de 15 mil pessoas, desembarcam no porto de Salvador na Baía a 22 de Janeiro de 1808.

No entanto, o principal destino da corte portuguesa seria chegar à capital da colónia, o Rio de Janeiro, onde desembarcaram em março do mesmo ano, instalando-se aí a então capital de Portugal. Foi nesta época que o Rio de Janeiro sofreu as mais profundas alterações, e pela primeira vez na história, uma colónia tornou-se a sede governamental de um Reino.

5. Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo. Por David Stanley

A riqueza do solo e a relativa segurança oferecida pela sua baía fizeram de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, o porto militar dos Açores, onde as armadas da Índia se reabasteciam e navios de outras proveniências demandavam com intuitos comerciais. Nestas condições, foi notável o rápido desenvolvimento de Angra do Heroísmo que foi capital do reino de Portugal em circunstâncias críticas, por duas vezes.

A primeira, entre 5 de agosto de 1580 e 5 de agosto de 1582, quando D. António, Prior do Crato, ali estabeleceu o seu governo. A segunda deu-se uns anos mais tarde, em 1830, devido ao facto da cidade açoriana se ter tornado o centro do movimento liberal português, abraçando a causa institucional aqui estabelecida em nome de Maria II de Portugal, a Junta Provisória, em 1828.

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.