Magazine Gastronomia Doces tradicionais que não podem faltar no Natal

Doces tradicionais que não podem faltar no Natal

49 Shares
Natal
Por Alexander Raths

O Natal é sinónimo de família, união, solidariedade, magia. Mas, em Portugal, a época natalícia também significa uma mesa farta e colorida, repleta daqueles doces tradicionais que no Natal têm um sabor especial. 

Com uma tradição de doçaria tão enraizada, não é de admirar que as sobremesas de Natal tenham uma forte presença na mesa de qualquer família portuguesa. Não podem faltar os frutos secos e cristalizados, a abóbora, os fios de ovos, o mel, a canela e até o vinho do Porto para dar um gosto especial a esta época.

Sinta os aromas e os sabores do Natal através desta viagem pelos doces tradicionais da época que deixam qualquer um de água na boca.

1. Bolo-rei

Bolo-rei
Por Official Porto Tourism Portal

Um dos clássicos indispensáveis na quadra natalícia e Dia de Reis é o bolo-rei, um doce confecionado em forma de coroa com recheio de frutos secos e cristalizados. Antigamente, no interior do bolo, encontravam-se também uma fava seca e um pequeno brinde, normalmente feito de metal. Quem encontrasse a fava na fatia que comesse, teria o dever de pagar o próximo bolo-rei, por outro lado se calhasse o brinde, a pessoa que o encontrasse seria brindada com boa sorte.

Popularizado em Portugal no século XIX, o bolo-rei segue uma receita originária do sul de Líger, em França. Tanto quanto se sabe, a primeira casa onde se vendeu em Portugal foi a Confeitaria Nacional, em Lisboa, por volta de 1869-1870.

Para quem não gosta de fruta cristalizada, hoje em dia, existem algumas variantes do bolo-rei original, como o bolo-rainha (feito apenas com frutos secos), o de chila e o de chocolate.

2. Rabanada

Rabanadas
Por Agência Brasília

Também conhecida como fatia dourada, este é um doce imprescindível em qualquer mesa na época do Natal. As rabanadas são feitas de pão de trigo em fatias que, depois de molhadas em leite, vinho (no Minho usa-se vinho verde tinto ou branco e também há quem use vinho do Porto) ou calda de açúcar, são passadas por ovos e fritas ou assadas. São servidas polvilhadas com açúcar de canela ou regadas com calda de açúcar, xarope de bordo ou mel. 

A rabanada aparece documentada no século XV, citada pelo poeta espanhol Juan del Encina. Este era um doce especialmente indicado para a recuperação pós-parto, por isso é que também há quem lhe chame fatia parida.

3. Sonhos

Os sonhos são outro doce tradicional saboreado um pouco por todo o país, muito confecionado na época natalícia. São fritos e polvilhados com açúcar e canela. Para além da receita mais simples, existem variações em algumas zonas, onde lhes é adicionada abóbora ou cenoura.

4. Broa castelar

Broa castelar
Por Mauro Rodrigues

A broa castelar é uma especialidade típica da quadra natalícia, feita à base de batata-doce. Há quem diga que foi uma criação dos irmãos Castelar, proprietários da Confeitaria Francesa, fundada em 1860, que se situava na Rua do Ouro, na Baixa de Lisboa.

5. Bilharacos

Bilharacos
Por anammarques

Há quem diga que são uma espécie de mistura entre sonhos de Natal e filhós. Mas a verdade é que os bilharacos são algo completamente diferente. São um doce de Natal típico da região de Aveiro e são confecionados com abóbora.

Apesar de pouco conhecidos no resto do país, a tradição de consumir este doce durante a época festiva mantém-se forte naquela região. As receitas são passadas de geração em geração para não se perder esta tradição.

6. Coscorões

Coscorões
Por Biopresto

Saboreados sobretudo na época do Natal, a receita original dos coscorões é oriunda da região norte do Alentejo. É um doce feito de massa de farinha de trigo e ovos, estendida numa tira larga e fina. São fritos e depois servidos polvilhados com açúcar e canela, sendo também possível serem submersos numa calda ou em mel.

7. Azevias

Azevias
Por Juan Emilio Prades Bel

As azevias são um doce tradicional conventual, muito saboreado em épocas festivas como o Natal. Com origem na zona do Alentejo, o doce recebeu o mesmo nome de um peixe também comum na região, por ter um formato igualmente chato e alongado. A massa pode ser recheada com um puré de grão, de abóbora ou de batata-doce e é frita em óleo, sendo depois polvilhada com açúcar e canela.

8. Aletria

Aletria
Por Joseolgon

A aletria é uma sobremesa feita com massa de fios finos e ovos. Em cada localidade, a aletria apresenta particularidades – maior ou menor quantidade de massa, com ou sem gemas. Nas Beiras, a aletria é de consistência compacta e pode-se cortá-la em fatias. No Minho, a consistência é mais cremosa.

A aletria é não só o nome da sobremesa, mas também da massa alimentícia, de fios finos, utilizada para fazer sopas e doces. Este ingrediente foi trazido para a Península Ibérica pelos mouros, entre os séculos VIII e IX, e ganhou presença cativa em Portugal. 

Pela sua simplicidade, a aletria é confecionada durante todo o ano, mas é indispensável na mesa de doces na época do Natal.

9. Formigos

Formigos
Por José Conçalves

Formigos ou mexidos é um doce de travessa português típico do Natal minhoto e trasmontano composto basicamente por calda de açúcar, fatias de pão, amêndoas, passas, pinhões, ovos, vinho do Porto e canela.

10. Filhós

Filhós
Por Rhalah

As filhoses são um doce frito, muito apreciado na época do Natal um pouco por todo o país, variando a sua receita e até consistência e formato conforme a região. São feitas com farinha e ovos, por vezes também com abóbora e raspa de laranja, e fritas em azeite ou outros óleos vegetais. Muitas vezes são polvilhadas com açúcar e canela.

Tradições (curiosas) do Natal em Portugal

Viaje connosco pelo país imbuído no espírito natalício e fique a conhecer as tradições mais curiosas e peculiares do Natal em Portugal.

Read more

Os mais belos presépios de Portugal

Apesar de a tradição se manter e de haver figuras indispensáveis à representação do nascimento de Jesus em Belém, há vários presépios de norte a sul do país com características e detalhes especiais que os tornam únicos. Deixamos-lhe alguns dos mais belos presépios de Portugal.

Read more

49 Shares

Artigos relacionados

Faça um comentário

Ao clicar em ENVIAR aceita a privacidade

Copy link
Powered by Social Snap