Largo de Santa Clara, Elvas, Alentejo, Portugal

Por PHB.cz

Ó Elvas, ó Elvas
Badajoz à vista.
Sou contrabandista
De amor e saudade
Transporto no peito
A minha cidade.

Paco Bandeira, A minha Cidade, Ó Elvas.

Elvas, Cidade Património da UNESCO desde 2012, é considera a cidade com o maior conjunto de fortificações abaluartadas do mundo. A sua localização estratégica, a apenas 8 km de Badajoz, fez desta cidade fronteiriça uma cidade fortaleza, sendo sem dúvida uma das cidades mais bonitas do nosso país. Entrando por uma das três portas que atualmente dão acesso à cidade amuralhada, as Portas de Olivença, as de São Mamede ou as da Esquina, temos a sensação de viajar no tempo e o encantamento é imediato.

O conjunto de fortificações que a rodeiam e que foram construídas entre os séculos XVII e XIX, estão Incluídas na lista da UNESCO, juntamente com o seu Centro Histórico e o magnífico Aqueduto da Amoreira. Este último foi iniciado em 1537, pelo arquiteto Francisco de Arruda, que também construiu o Aqueduto da Prata, em Évora, mas só foi finalizado em 1620. É uma obra colossal de 8,5 km e 31 metros de altura e é considerado um dos maiores aquedutos da Península Ibérica.

Aqueduto da Amoreira

Aqueduto da Amoreira. Por alexilena

As fortificações da cidade incluem as Muralhas de Elvas, com as diferentes cercas que a compõem e que vão sendo construídas ao longo do tempo, sendo as duas iniciais islâmicas. Incluem também dois Fortes, o Forte de Nossa Senhora da Graça, do século XVIII, que pela sua localização é visível de toda a cidade e possui uma vista impressionante de toda a região. O Forte de Santa Luzia, datado do século XVII, mais pequeno e conectado com o centro histórico da cidade por uma passagem subterrânea, e 3 fortins, datados do século XIX: o de São Mamede, junto ao Forte de Santa Luzia, o de São Pedro e o de São Domingos, junto ao Aqueduto da Amoreira.

O Castelo de Elvas, de origem islâmica, e de onde partem as muralhas de defesa da cidade, foi curiosamente o primeiro Monumento Nacional a ser classificado como tal, em 1906, e é o ponto de partida ideal para uma caminhada pela cidade antiga, apreciando as estreitas ruas do centro histórico. Chegando à Praça da República, ponto fulcral da vida da cidade, onde no verão se realiza, entre outros eventos, o Festival Medieval de Elvas. A coroar a praça está a Igreja de Nossa Senhora da Assunção, antiga Sé Catedral, de estilos Manuelino e Barroco, e que atualmente faz parte dos Roteiros Militares criados pela Associação do Turismo Militar Português, e dos quais Elvas é, por motivos óbvios, passagem obrigatória.

Forte de Nossa Senhora da Graça, Elvas. Alentejo Region. Portugal

Forte de Nossa Senhora da Graça. Por alexanderkonsta

Na parte da cidade conhecida como Judiaria Velha, vale bem a pena visitar o lugar onde se localizava possivelmente, a Sinagoga da cidade, a maior Sinagoga Medieval do nosso pais. No período medieval ¼ da população de Elvas era judaica e por esse motivo era fundamental a existência de uma Sinagoga. Procurada durante longos anos, foi ‘redescoberta’ em 2015 no antigo Açougue Municipal, e restaurada e aberta ao público em 2017. Atualmente conta com 12 colunas que corresponderiam às 12 tribos de Israel ,e o objetivo é criar nesse espaço a Casa da História Judaica.

A construção do açougue sobre o lugar da Sinagoga tem uma explicação curiosa. Açougue terá origem na palavra árabe souk que ainda hoje significa, mercado ou venda. Nesse local haveria pois, um mercado com venda de carne, incluída a de porco, animal cujo consumo é proibido para judeus e muçulmanos, sendo a sua presença parte da dessacralização absoluta desse lugar. Desta forma, o esquecimento da presença do culto judaico praticado no lugar, estava garantido!

Igreja de Nossa Senhora da Assunção. Por Jorge Anastacio

Saindo de Elvas, propomos uma ida à Barragem do Caia, a maior do distrito de Portalegre, e um dos melhores observatórios de aves aquáticas do interior do pais. Na Herdade da Rocha, banhada pela albufeira, fica a maravilhosa Casa da Ermida de Santa Catarina, com apenas 6 quartos com vistas abertas à natureza circundante.

Outra visita obrigatória na região é à Adega Mayor, a primeira adega de autor em Portugal. Desenhada em 2005 por Siza Vieira, é inaugurada em 2007, marcando para sempre a paisagem vitivinícola da região. No enoturismo, são propostas várias experiências com visitas guiadas à adega, degustação de vinhos, workshops vinícolas, e a Experiência Maior que inclui entre outras atividades passeio de balão, canoagem, passeios pedestres ou em BTT e provas de orientação.

A Adega Mayor, fundada por Rui Nabeiro, o também fundador, em 1961, dos Cafés Delta, está localizada perto de Campo Maior, famosa pelas magníficas Festas do Povo, que consistem na decoração das ruas, sobretudo no centro histórico da cidade, com milhares de flores de papel, feitas totalmente pela população local. Também em Campo Maior, o Centro de Ciência do Café, centro cultural sobre o café mas com inúmeras atividades formativas e expositivas.

Capela dos Ossos de Campo Maior, el Alentejo, Portugal

Capela dos Ossos de Campo Maior. Por Juan Aunión

Depois disso, passei-se pela cidade e aproveite para visitar a Capela dos Ossos de Campo Maior, junto à Igreja Matriz. Esta é a segunda maior capela dos ossos do nosso pais, depois da de Évora, e uma das 6 espalhadas pelo território nacional. Curiosamente, as cerca de 800 ossadas aqui presentes, poderiam ser resultado da explosão do paiol que ocorreu em 1732, e que matou quase dois terços da população da cidade. A capela terá sido construída em 1766 com os respetivos ossos, e talvez por se tratar de tão sentida homenagem aos habitantes de Campo Maior, que faleceram na tragédia, a capela ainda hoje move fiéis.

Elvas, é um dos lugares mais extraordinários do nosso país, uma fortaleza no Guadiana que merece sem dúvida uma visita.

Casas de campo em Elvas

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.