Magazine Natureza 7 lagoas para ir a banhos em Portugal

7 lagoas para ir a banhos em Portugal

382 Shares
Lagoa de Albufeira
Lagoa de Albufeira. Por Walterpeitz

Os dias mais quentes pedem praias, rios, cascatas. E porque não lagoas também? Em Portugal, há inúmeras lagoas que são uma ótima opção a ter em conta para quem gosta de natureza, fotografia, birdwatching, caminhadas e desportos aquáticos. Nestas lagoas é ainda possível dar um mergulho em segurança.

Conheça algumas das mais bonitas lagoas que pode encontrar de norte a sul do nosso país, onde pode ir a banhos.

1. Pateira de Fermentelos (Águeda, Aveiro e Oliveira do Bairro)

Pateira de Fermentelos
Por Ruben Queirós

A Pateira de Fermentelos é a maior lagoa natural da Península Ibérica, mas não é só por esse facto que merece estar nesta lista. Localizada entre três concelhos – Águeda, Aveiro e Oliveira do Bairro – é o local perfeito para os amantes de birdwatching, já que apresenta vários habitats, ecossistemas e até é procurada por espécies protegidas. Desde lontras a toupeiras de água, peixes como o sável ou aves como os maçaricos ou milhafre-pretos, são muitos os animais que se podem encontrar nesta zona.

Mas mesmo que não seja um aficionado da observação de pássaros, na Pateira de Fermentelos pode ainda passear a cavalo, de bicicleta ou a pé, pescar, atravessar a lagoa numa tradicional bateira ou numa bicicleta aquática, e fotografar a natureza, principalmente quando o sol se põe e cria uma luminosidade incrível.

Pateira de Fermentelos, a maior lagoa natural da Península Ibérica

À primeira vista os mais de 5 km² da Pateira de Fermentelos impressionam. Mas é quando nos debruçamos um pouco mais e vamos explorando todos os elementos que fazem parte desta que é a maior lagoa natural da Península Ibérica que nos apercebemos da real beleza e biodiversidade que aqui existe.

Read more

2. Lagoa de Óbidos

Lagoa de Óbidos
Por Dipl. Ing. Guido Grassow

Com quase sete quilómetros, a Lagoa de Óbidos é o sistema lagunar mais extenso da costa portuguesa, e faz fronteira com os concelhos das Caldas da Rainha e de Óbidos. Esta lagoa é separada do mar por um cordão de dunas litorais, sendo considerado por muitos como um lugar ideal para a prática de desportos aquáticos, como kitesurf ou stand up paddle.

Para além da grande diversidade de aves, a apanha de moluscos bivalves – amêijoa, berbigão e mexilhão – assume um papel de destaque na economia da região. Por isso, se visitar esta a zona, não deixe de experimentar alguns destes bivalves nos restaurantes locais.

Lagoa de Óbidos, a maior lagoa de água salgada de Portugal

Nem tudo em Óbidos gira à volta do imponente castelo e respetivas muralhas, que atraem todos os anos milhares de turistas. Do castelo, na vila medieval, até à Lagoa de Óbidos distam apenas cerca de 20 minutos de carro. Há até relatos que dão conta que, antigamente, a lagoa alcançava o sopé da colina onde hoje se ergue a vila de Óbidos, banhando os muros do castelo do lado poente. Se estiver de visita à região, vale a pena reservar umas horas para conhecer o sistema lagunar costeiro mais extenso da costa portuguesa.

Read more

3. Lagoa de Albufeira (Sesimbra)

Lagoa de Albufeira
Por Vitor Oliveira

Alimentada pelas águas doces das ribeiras da Apostiça, Ferraria e Aiana, e pelas águas salgadas do oceano Atlântico, quando o cordão dunar é aberto oficialmente na primavera, a Lagoa de Albufeira é considerada a mais funda de Portugal, com 15 metros de profundidade máxima. 

Rodeada por pinhal em quase todo o perímetro, conta com pequenos areais junto do mar e na margem norte. As águas calmas e o vento criam condições para a prática de winsdurf, kitesurf, vela e canoagem. A praia é muito procurada para a prática de surf e bodyboard.

A Lagoa de Albufeira faz parte da Reserva Ecológica Nacional, sendo uma zona de proteção de aves. O pato-real, a garça-real ou o mergulhão-pequeno são algumas das espécies que podem ser observadas por aqui. Em plataformas no meio da lagoa existem viveiros de mexilhão.

4. Lagoas de Santo André e da Sancha (Sines e Santiago do Cacém)

Lagoas de Santo André e da Sancha
Por Vitor Oliveira

As Lagoas de Santo André e da Sancha estendem-se num total de 15 quilómetros e constituem um sistema lagunar costeiro de considerável importância biológica, ornitológica, faunística e florística. Esta reserva natural é o local escolhido para a reprodução de espécies como o pato-de-bico-vermelho e outras mais ameaçadas, como é o caso da garça-vermelha. Nestes habitats é igualmente comum ver o rouxinol-pequeno-do-caniços, símbolo da reserva e um dos visitantes dos caniçais na altura do verão.

A reserva oferece ainda excelentes condições para a prática de diversas atividades como passeios pedestres, canoagem ou windsurf, ou simplesmente passear e descansar ao sol no extenso areal das Praias da Costa de Santo André e da Fonte do Cortiço, ali mesmo ao lado.

5. Lagoa Comprida (Seia)

Lagoa Comprida
Por Cardilio

De origem glaciar, a Lagoa Comprida é a maior lagoa da Serra da Estrela. Esta lagoa impressiona pela arquitetura da estrutura da barragem que a suporta, especialmente o paredão de 28 metros de altura. A sua enorme massa foi aproveitada desde o início do século para a produção de eletricidade. Em si desaguam dois túneis: o do Covão do Meio e o do Covão dos Conchos.

No verão, a neve dá lugar a uma praia de águas límpidas e transparentes, onde pode pescar, fazer windsurf e andar de barco.

6. Lagoa do Vale do Rossim (Gouveia)

Lagoa do Vale do Rossim
Por Vitor Oliveira

Continuamos no Parque Natural da Serra da Estrela para lhe mostrar o maior vale glaciar da Europa: o Vale do Rossim. Situada a uma altitude de 1437 metros, esta lagoa artificial é muito procurada no verão, ou não fosse a praia fluvial mais alta de Portugal. Antes da construção da barragem a lagoa não existia. O local onde agora vemos a Lagoa do Vale do Rossim era uma das melhores pastagens para os rebanhos de transumância.

Hoje em dia, é um lugar perfeito para passar um dia em família e com amigos, onde pode aproveitar para fazer algumas atividades de lazer. O rappel, slide, canoagem, passeios pedestres e de moto 4 permitem uma maior descoberta do local.

7. Lagoa de Melides (Grândola)

Lagoa de Melides
Por Vitor Oliveira

Com cerca de 26 hectares e pequenas ilhas cobertas de vegetação, a Lagoa de Melides é importante pela sua beleza, função ecológica e história. Encontrando-se em grande parte assoreada, a lagoa esteve ligada ao mar e serviu de porto pesqueiro até ao século XVIII. A lagoa tem também servido como habitat a várias espécies animais, como enguias, pardelhas, tainhas, garças-pequenas, garças-brancas, garças-vermelhas, milhafres-pretos e tarambolas-douradas.

O areal dá acesso tanto a banhos na grande e tranquila Lagoa de Melides – ideal para famílias -, como a mergulhar diretamente no Atlântico.

11 piscinas naturais que o farão esquecer a praia

Se não gosta de água com cloro e prefere águas mais tranquilas, banhar-se numa das muitas piscinas naturais que existem em Portugal poderá ser um excelente plano para um dia quente de verão.

Read more

382 Shares

Artigos relacionados

Faça um comentário

Ao clicar em ENVIAR aceita a privacidade

Copy link
Powered by Social Snap