Por Xavier Allard

As levadas são o nome dado aos canais de irrigação que foram construídos no século XV para redirecionar as águas de norte para sul da ilha. Hoje são um cartão postal e trilhos fascinantes pela mais pura natureza da Ilha da Madeira.

Visitar a Ilha da Madeira é sinónimo de paisagens deslumbrantes e de muitas e diversas atividades. As atividades com maior destaque são, sem dúvida, os fascinantes passeios a que os madeirenses deram o nome de “levadas”.

As levadas são fascinantes passeios pela natureza da ilha apreciando os mais belos postais da Madeira. Começaram por ser apenas canais de irrigação construídos com o intuito de redirecionar as águas das zonas mais chuvosas – a Norte – para as zonas mais secas – a Sul.

O seu aparecimento data do século XV e, ainda hoje, os habitantes da ilha usam estes mini canais de irrigação para fazer chegar água para o regadio de vastas plantações localizadas a grandes distâncias e muitas vezes em zonas de difícil acesso.

Desta forma, ao caminhar ao longo das muitas levadas da Madeira, para além de ter a oportunidade de desfrutar de algumas das mais belas paisagens da região – túneis naturais que atravessam rochas, vales e montanhas, lagoas de águas cristalinas, quedas de águas absolutamente fabulosas, o canto das aves – está também a conhecer um pouco da história e das raízes do povo madeirense.

Floresta Laurissilva. Por Mário Baião

Na Madeira irá encontrar mais de 3.000 quilómetros de canais de irrigação e muitos deles percorrem a floresta Laurissilva, declarada Património Mundial pela UNESCO em 1999. Foi ainda considerada uma das “Sete Maravilhas de Portugal” e é hoje em dia considerada mundialmente como um Paraíso Europeu das caminhadas.

Os passeios fazem-se pelo trilho que acompanha a levada em todo o seu percurso. Ainda assim, certifique-se sempre que se trata de um dos percursos pedestres oficialmente recomendados pelo Governo Regional da Madeira, classificados como pequenas rotas (PR).

Existe sempre informação sobre o início e fim do percurso, a sua duração e o grau de dificuldade do mesmo. Algumas das mais fáceis são ideais para iniciantes, para aqueles que apenas querem caminhar e desfrutar de uma experiência ao ar livre fascinante. Apenas precisa de se munir de água, protetor solar, um agasalho e um bom calçado e – se for um viajante prevenido – até mesmo um piquenique e vai ver que não se irá arrepender. Para lhe facilitar a escolha, deixamos-lhe uma lista das mais populares e fascinantes levadas da Madeira.

Cedros

Distância: 11,1 km
Duração: 3/4 horas
Dificuldade: Fácil

Esta levada foi construída no século XVII e é considerada uma das mais antigas da ilha. O seu nome diz tudo: o cedro é o grande destaque no meio de uma vegetação variada sempre com tonalidades verde-esmeralda.
Pelo caminho irá encontrar um miradouro, a partir do qual é possível admirar a grandeza das montanhas que rodeiam a zona e, lá ao fundo, a Ribeira da Janela. Mas o maior cartão de visita desta levada são as quedas de água que formam uma lagoa de água cristalina e pura.

Rei

Distância: 9,7 km
Duração: 3/4 horas
Dificuldade: Fácil

Sem dúvida um dos percursos mais bonitos da Ilha da Madeira, oferecendo paisagens espetaculares das terras agrícolas de São Jorge e Santana.
Atravessa uma área de floresta natural bem desenvolvida e rica em biodiversidade natural e atravessa túneis formados pela luxuriante vegetação e pela grande variedade de espécies existentes.
Na primeira parte do percurso poderá apreciar um misto de vegetação endémica e vegetação introduzida já depois da descoberta da ilha, intercalada com várias perspectivas das povoações ao longe.
Depois de percorrer parte do percurso chegará ao Ribeiro Bonito, considerado um santuário natural devido à extrema beleza do local.
Na segunda parte do trilho irá entrar mais no interior da ilha e apreciar a flora e fauna natural e nativa da ilha, que se conserva há mais de cinco séculos.

Fanal

Paúl da Serra. Por muffinn

Distância: 10 km
Duração: 3/4 horas
Dificuldade: Médio

Na imensidão do planalto do Paúl da Serra, tem início este lindíssimo percurso, indicado sobretudo para quem faz caminhadas com mais regularidade. O percurso não é fácil – com muitas subidas e descidas – mas as paisagens de cortar a respiração valem o esforço extra.
Ao longo do percurso existem vários miradouros, que desvendam um conjunto de paisagens lindíssimas, destacando-se a vista sobre o vale da Ribeira da Janela e do Chão da Ribeira e, no final, uma vasta floresta de Tis.

Ribeira da Janela

Ribeira da Janela. Por Jean & Nathalie

Distância: 22,8 km
Duração: 6/8 horas
Dificuldade: Difícil

Esta é uma levada recomendada para aqueles que têm uma excelente preparação física e que se inicia nos Lamaceiros, em Porto Moniz. Ao longo do seu percurso, a levada conduz a vários túneis (onde se recomenda o uso de lanterna, protecção para a cabeça e um impermeável) que nos encaminham para o interior único do vale da Ribeira da Janela. Para o fim está guardado o melhor da paisagem: a madre da Ribeira da Janela, onde se poderá refrescar numa das lagoas.

Tornos – Boaventura

Distância: 12,9 km
Duração: 4/6 horas
Dificuldade: Médio

Se quer conhecer a natureza no seu estado mais puro então esta é a levada certa!
A Levada dos Tornos atravessa grande parte da Ilha da Madeira para trazer a água do lado Norte para o lado Sul.
O caminho inicia-se na zona do Lombo do Urzal junto das casas e deverá subir até encontrar a levada. Vire à direita e siga a levada que o levará à origem da Levada dos Tornos, onde encontrará uma bela cascata.
Deixe-se ficar um pouco neste local antes de voltar pelo mesmo caminho mas, desta vez, em direção à Fajã do Penedo.

Lagoa do Vento

Distância: 6,7 km
Duração: 3/4 horas
Dificuldade: Difícil

A Lagoa do Vento é um percurso diferente e aconselhado sobretudo para os mais aventureiros. O seu percurso tem início na zona do Rabaçal, na levada do Alecrim, e irá conduzi-lo até à famosa e inspiradora Lagoa do Vento. O piso é bastante irregular pelo que deverá tomar muita precaução. Deixe-se levar pela natureza envolvente e aprecie as vistas panorâmicas oferecidas pelos vários miradouros ao longo do trilho.

Caldeirão Verde

Levada do Caldeirão Verde. Por cudi

Distância: 11,8 km
Duração: 4/5 horas
Dificuldade: Médio

Esta levada tem início e fim no Parque Florestal das Queimadas. Uma caminhada através de trilhas de pedras e pelo meio de uma vegetação exuberante até chegar à majestosa cascata a cair sobre a lagoa fria e cristalina. O percurso é extraordinariamente verde. Ao longo do caminho intercalam-se vistas impressionante das vilas de Santana e São Jorge e de uma imensidão de montanhas. Irá passar por vários túneis e a água está sempre presente durante o percurso, a brotar das paredes e a correr pela levada.
Para os mais bem preparados, existe a opção de combinar duas levadas da Madeira, continuando até ao Caldeirão do Inferno, percurso curto mas envolvendo um declive maior e por isso tornando-se mais lento, acrescentando três horas ao total, num total de 18 km.
No final não deixe de apreciar a Casa de Abrigo das Queimadas, que mantém as características originais das Casas Típicas de Santana, com o seu característico telhado em colmo.

Alecrim

Levada do Alecrim. Por VillageHero

Distância: 6,8 km
Duração: 2/3 horas
Dificuldade: Fácil

Trata-se de um trajeto fácil, acessível a qualquer pessoa, que o levará a desfrutar de várias e lindíssimas lagoas e quedas de água, onde se destaca a magnífica Lagoa Dona Beja, cuja queda de água alimenta a Lagoa do Vento. Aqui poderá fazer uma pausa e dar um mergulho refrescante.
Ao longo do percurso poderá desfrutar das impressionantes vistas sobre o vale do Rabaçal e da Ribeira da Janela.

Ribeiro Frio – Portela – Levada do Furado

Levada do Furado. Por Alejandro Rodríguez Villalobos

Distância: 10,7 km
Duração: 3/4 horas
Dificuldade: Fácil

O Ribeiro Frio é um local famoso pelas suas diversas atrações e este percurso um dos mais bonitos da Madeira. Aqui o visitante encontra um bonito jardim e um famoso viveiro de trutas e serve de ponto de partida para dois extraordinários percursos pedestres muito realizados.
O percurso está repleto de espécies endémicas da flora e fauna da Madeira e ao longo da levada será possível avistar as famosas trutas. A magnífica vegetação enche os olhos e a alma dos caminhantes, envolvendo-os num ambiente tranquilo e sereno.

Vale Rabaçal e 25 Fontes

Levada perto do Rabaçal. Por Jörg Schmalenberger

Distância: 9,9 km
Duração: 3/4 horas
Dificuldade: Médio

A levada das 25 Fontes é uma das mais populares da Ilha da Madeira. O seu nome faz jus ao número de fontes ou pequenas quedas de água que é possível contar quando chegamos ao local.
Partindo da Calheta em direção às 25 fontes, o caminho contém um túnel e revela paisagens e sensações maravilhosas. Caminhe por um lugar único e mágico com abundância de cascatas, passeie entre as árvores aromáticas no Vale do Rabaçal e admire a grande variedade da flora e fauna.
Continue até chegar a uma pequena lagoa no fundo de um enorme penhasco e admire as 25 nascentes naturais caindo sobre o lago. Aqui vai sentir-se no meio de um verdadeiro oásis onde apenas se consegue ouvir o barulho da água e o canto tranquilo dos pássaros.

Moinho

Levada do Moinho. Por VillageHero

Distância: 10,3 km
Duração: 3/4 horas
Dificuldade: Médio

Esta levada, tal como o nome indica, percorre um trilho onde já existiram vários moinhos de água, desde a Ribeira da Cruz em Porto Moniz ao sítio do Tornadouro, na Ponta do Pargo.
Esta caminhada começa na Feira do Gado, na paróquia da Santa, em Porto Moniz, e segue na direcção oposta da água. Foi construída inicialmente pelos agricultores e usada para abastecer os vários moinhos existentes na zona. Uma vez mais temos um percurso que percorre a floresta nativa da Madeira, a Laurissilva, e o levará até à madre desta levada para conhecer as bonitas cascatas existentes.

Pico do Castelo, Porto Santo

Distância: 4,1 km
Duração: 2 horas
Dificuldade: Médio

Esta levada, com origem na primeira metade do século XX, com vista ao aproveitamento das águas pluviais e à sua utilização na agricultura, tem início na estrada regional 120 e segue pelo sopé do Pico do Castelo, contornando a sua encosta sul. Aproveite o percurso para aceder e conhecer a Capela de Nossa Senhora da Graça, datada da década de 30 do século XX.
Ao subir a denominada Rocha de Nossa Senhora, através de uma espécie de calçada, o caminhante pode encontrar algumas plantas endémicas.
Após o topo do rochedo, popularmente chamado de “Portelinha”, o percurso desce em direção à Serra de Fora e ao túnel de aproximadamente 530 metros que depois de atravessado termina em Ribeiro Formoso.

Casas rurais na Madeira

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.