Por sokolova23

Que a ilha da Madeira é um destino paradisíaco já é do conhecimento geral. Com uma área de 741 km2, 57 km de comprimento e 22 km de largura, e um clima sub-tropical (que oscila entre os 25° C no verão e os 17° C no inverno), esta é uma das ilhas mais concorridas por turistas de todos os cantos no Mundo. Mas o que muitos desconhecem é a panóplia de oferta cultural, recreativa e popular. Estas festividades ocorrem durante todo o ano e podem ser uma mais-valia na escolha da época a visitar a ilha conhecida como a “Pérola do Atlântico”.

Os principais eventos deste calendário são as comemorações do Fim de Ano, a Festa do Panelo, a Festa dos Compadres, a Festa da Flor, o Festival do Atlântico, Santos Populares, Arraiais Tradicionais e o Festival de Colombo.

Noite de Fim de Ano

Por Mark Woodbury

Começamos pela festividade mais famosa da região e que traz, ano após ano, mais visitantes à ilha da Madeira. A afluência deve-se ao já famoso e espetacular fogo-de-artifício, já classificado como o “Maior Espetáculo Pirotécnico do Mundo” durante alguns anos.

O famoso fogo-de-artifício da Noite de São Silvestre anuncia ruidosamente a entrada num novo ano e –embora a autarquia garanta este magnífico espectáculo– é com o contributo de todos os habitantes da cidade do Funchal que, a partir das suas casas fazem questão de encher os céus com fogos e foguetes quase em disputa com os demais vizinhos, que esta noite se torna ainda mais mágica.

A Baía do Funchal –um anfiteatro natural esculpido pela mão da mãe natureza– serve de palco a este belíssimo e inesquecível espectáculo de luz e cor.

Festa do Panelo

A 26 de janeiro realiza-se a Festa do Panelo, uma das tradições mais antigas da freguesia do Seixal, no concelho do Porto Moniz. Esta tradição terá nascido durante a II Guerra Mundial quando alguns jovens tratadores de gado começaram por se juntar na zona do Chão da Ribeira e faziam questão de levar consigo os restos de carne de porco salgada do natal e de os juntar –dentro de uma grande panela– às couves colhidas diretamente nos terrenos, dando assim origem a um prato muito semelhante ao famoso Cozido à Portuguesa.

Assim nasceu o ambiente festivo que hoje dá pelo nome de Festa do Panelo. Hoje a tradição mantém-se e as famílias, amigos e até turistas fazem verdadeiras romarias à região para degustar o famoso “panelo”. Cada um leva o que pode, todos contribuem e depois –numa panela gigante, com capacidade para mais de 150 litros– o “panelo” fica a cozer a lenha durante três horas.

Depois disso, a panela é literalmente vertida em cima de uma toalha de linho e é tempo de saborear o cozido feito com a ajuda de todos. Durante o tempo de espera, o ambiente é de lazer ao som de instrumentos tradicionais madeirenses e muitas bandas locais.

Festa dos Compadres

Por muffinn

A Festa dos Compadres, uma das tradições mais peculiares da cultura popular madeirense, marca a abertura da época de carnaval na Madeira, uma tradição com mais meio século de vida e que é celebrada com grande entusiasmo no município de Santana.

Começa com a tradição da quinta-feira das comadres e da quinta-feira dos compadres, ambas marcadas pela ironia, sarcasmo e muita crítica social. Uma verdadeira “guerra dos sexos” para apurar os mais cómicos e quem melhor retrata as figuras sociais vítimas da crítica do povo. Na quinta-feira das comadres, estas reúnem-se e escolhem –em segredo– o compadre sobre o qual irá recair a vingança delas, retratando o mesmo num boneco de trapos ou de palha que será depois ridicularizado e queimado em praça pública.

O inverso acontece na quinta-feira seguinte, onde a vingança dos compadres “se serve fria”. Hoje em dia as comadres e compadres juntam-se num verdadeiro cortejo alegórico onde as suas divertidas figuras gigantes desfilam com humor, cor e alegria e leva milhares de pessoas para aquela localidade no fim de semana.

Festa da Flor

Por flu4022

Depois das comemorações do fim de ano, a Festa da Flor é provavelmente o acontecimento cultural que mais visitantes atrai à ilha da Madeira e, especificamente, à cidade do Funchal. Acontece todos os anos depois da páscoa e é uma grande homenagem à primavera, com tudo o que esta representa em termos de renascimento da natureza, mas também à própria Ilha da Madeira, conhecida como “ilha das flores”, muito por culpa do clima, ideal para o crescimento de inúmeras espécies originárias de todo o planeta.

Para além disso, esta alcunha está também relacionada com a importância do seu porto que servia de escala marítima das rotas entre os continentes africano e americano e a Europa e onde era frequente, à chegada dos viajantes e turistas, encontrarem vendedoras de flores.

Hoje, no decorrer das festividades, há dezenas de atividades espalhadas por toda a ilha que se “veste” com tapetes de flores, cortejos floridos, as charolas de flores, exposições de flores e o habitual Mercado das Flores na Avenida Arriaga para receber os milhares de turistas que escolhem esta altura do ano para visitar a ilha. Associada ao evento destaca-se a tradição, quer através das atuações de grupos folclóricos, quer através da construção dos belos tapetes florais e anima-se a cidade com concertos musicais e espetáculos de variedades.

Festival do Atlântico

O Festival do Atlântico marca o início da época de verão na Madeira. Este evento consiste num diversificado conjunto de iniciativas culturais distribuídas ao longo do mês de junho, sendo de realçar os espetáculos piromusicais, o Festival Raízes do Atlântico e a Semana Regional das Artes.

Nos sábados do mês de junho pode garantidamente assistir aos espectáculos piromusicais –que conjugam magistralmente fogo-de-artifício e música– que decorrem no molhe exterior da Pontinha. O Festival Raízes do Atlântico apresenta, ano após ano, nomes sonantes do panorama musical nacional e internacional em espectáculos que acontecem na Praça do Povo.

Já a Semana Regional das Artes pretende mostrar as aprendizagens e as competências artísticas dos alunos madeirenses, adquiridas no decurso escolar, através de várias ações que acontecem na baixa da cidade.

Festas dos Santos Populares

À semelhança do que acontece no Continente, também na Madeira se celebram as festas dos santos populares, relacionadas com a festa pagã do solstício de verão, que era celebrada no dia 24 de junho. Um pouco por toda a região o mês de junho é sinónimo de Festa em louvor aos três Santos Populares –Santo António, São João e São Pedro. As Ruas da Figueira Preta, Travessa dos Reis, Rua da Conceição e Praça do Carmo recebem um concurso público de altares de São João, uma tradição que se mantém até aos dias de hoje.

Arraiais Tradicionais

Por cudi

Uma das tradições mais famosas da Madeira são os “arraiais”. As celebrações são impressionantes, muitas das igrejas mantêm vivas as tradições das procissões, dos pagamentos das promessas, dos tapetes de flores, das iluminações de rua e da igreja, das bandeiras coloridas, das bandas filarmónicas e grupos musicais, tudo isto seguido duma celebração com a gastronomia regional.

Esta é a altura ideal para provar a tão afamada espetada em pau-de-loureiro, acompanhada de milho frito, bolo-do-caco e vinho seco ou cerveja com laranjada. No final, não pode faltar a tradicional “Poncha”. Manda a tradição que todos cozinhem a sua própria “espetada”; a carne é vendida nas barracas envolventes, cortada em cubos e assada em espetos de loureiro em fogareiros colocados à disposição do público.

Os dois principais arraiais da ilha são o de Nossa Senhora do Monte, a 14 e 15 de agosto, e o do Senhor Bom Jesus, no primeiro domingo de setembro, em Ponta Delgada. Ambos atraem milhares de visitantes de todo o mundo. A Romaria de Nossa Senhora do Monte data dos primórdios da colonização da ilha, e é sem dúvida o maior e mais concorrido arraial cristão da Madeira. É frequente verem-se peregrinos a cumprir penitências ou ofertando velas de cera em sinal de agradecimento.

Festival Colombo

O Festival Colombo assenta na recriação histórica da época em que este famoso mercador residiu na ilha do Porto Santo, recordando assim as suas vivências no Arquipélago da Madeira. De 12 a 14 de setembro, Vila Baleira –na ilha de Porto Santo– oferece música, exposições, animação de rua e encenações de ambientes medievais que recriam o desembarque de Colombo e da sua tripulação no cais da cidade. Um cortejo histórico marca ainda esta semana carregada de simbolismo, história e tributo.

Casas de campo na Ilha da Madeira

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.