Magazine Planos Melides, o segredo mais bem guardado do Alentejo

Melides, o segredo mais bem guardado do Alentejo

615 Shares
Melides
Melides. Por Janina Dierks

A pequena aldeia costeira de Melides, no concelho de Grândola, é um paraíso por descobrir na costa alentejana. Mas o segredo mais bem guardado do Alentejo já foi revelado e, depois da Comporta, é a vez de Melides atrair atenção internacional.

A revista de viagens Condé Nast Traveller incluiu Melides na sua lista de melhores destinos de férias para 2021, classificando-a até como “a nova Comporta”. Mas ao contrário da efusiva e agitada Comporta, Melides ainda mantém as suas praias desertas e intocadas, quilómetros de vinhas, campos de arroz e sobreiros.

Igreja de São Pedro, Melides
Igreja de São Pedro, Melides. Por Vitor Oliveira

Em Melides o tempo passa mais devagar, ao ritmo dos locais que facilmente encontrará a jogarem cartas nas praças da aldeia. Com pouco mais de 1600 habitantes, Melides é um Portugal diferente, fora dos circuitos agitados mais procurados no verão e que surpreende pela sua pacatez e por estar ainda um pouco por descobrir para o turismo de massas.

Nos últimos anos, Melides tem sido mencionado em vários artigos na imprensa nacional e internacional, o que tem atraído investimentos em refúgios quase secretos. O célebre designer de sapatos Christian Louboutin está a construir um hotel de charme na região. O designer francês apaixonou-se por Portugal há alguns anos e mudou-se para Melides em 2017, onde tem casa, e está a construir o alojamento com 15 quartos e um restaurante.

A condessa italiana Noemi Marone Cinzano também construiu aqui um retiro de férias já fotografado pela AD-Architectural Digest norte-americana. O arquiteto e designer belga Vincent Van Duysen desenhou e construiu aqui uma casa icónica, e que também já teve direito a reportagem no New York Times.

Praias desertas a perder de vista

Litoral entre a Praia da Galé-Fontainhas e a Praia da Aberta Nova
Litoral entre a Praia da Galé-Fontainhas e a Praia da Aberta Nova. Por Vitor Oliveira

O concelho de Grândola é conhecido pelos extensos areais de praias desertas, por isso quem aqui chega tem muito por onde escolher. Além das famosas praias de Tróia, Comporta, do Carvalhal e do Pêgo, na região de Melides, a mais conhecida é a Praia de Melides, um extenso areal com apoio de praia, estacionamentos e restauração.

Praia da Aberta Nova também é uma excelente opção: vigiada e com um bar de praia que serve tostas em pão alentejano, salada de polvo e caracóis.

Quase sempre vazia, na Praia da Galé-Fontainhas encontra um paraíso secreto de tranquilidade. Tal como a Praia da Vigia, que tem um acesso difícil por uma estrada de areia com cerca de 5 quilómetros e sem qualquer infra-estrutura de apoio.

O que visitar em Melides?

Lagoa de Melides
Lagoa de Melides. Por Vitor Oliveira

Nas imediações da Praia de Melides fica a Lagoa de Melides, que se prolonga até à aldeia através de extensos arrozais e pequenas ilhas, onde a riqueza da flora e da fauna garantem atividades como bird watching, canoagem ou passeios pedestres.

Explorar a Lagoa de Melides é descobrir um ecossistema frágil que tem servido como habitat a várias espécies animais, designadamente a enguias, pardelhas, tainhas, garças-pequenas, garças-brancas, garças-vermelhas, milhafres-pretos e tarambolas-douradas.

Fonte dos Olhos, Melides
Fonte dos Olhos, Melides. Por Vitor Oliveira

Em plena aldeia de Melides, existe um agradável parque de merendas junto a um bonito espelho de água. A captação da Fonte dos Olhos foi construída no final da década de 1960 para abastecimento à freguesia de Melides. Esta fonte tem ainda um caudal considerável, que serve aos arrozais, terminando na Lagoa de Melides.

Com 326 metros no seu ponto mais elevado, a serra de Grândola é uma das componentes naturais mais importantes da região, onde existem vários percursos pedestres por caminhos rurais, por trilhos, ribeiras frescas e caminhos que ligam as populações da serra à costa e à lagoa. O Vereda de Melides é um percurso circular que se estende por 19 quilómetros, entre a vila e os montes até aos vales da serra.

Onde comer em Melides?

Campos de arroz em Melides
Campos de arroz em Melides. Por CHROMORANGE BUDGET

região de Grândola tem produtos de excelente qualidade, como é o caso dos enchidos de porco branco e porco preto, que poderá adquirir nos talhos locais, bem como o pão, tipicamente alentejano. Sugerimos que entre numa das várias padarias artesanais na freguesia de Melides, como a padaria da Tia Jesuína, em Vale Figueira, e experimente o pão alentejano.

Com vastos pinhais de pinheiro manso, aqui também se produz bom pinhão, sem esquecer o melhor arroz e ainda ervas aromáticas provenientes da serra que também é rica em medronhos e figos.

Quanto a restaurantes, também não lhe faltará opções onde comer bem. O conhecido restaurante Flor de Sal by Melides fica na praia de Melides. Com vista para o mar, é um dos mais concorridos restaurantes da região, tanto para petiscar como para jantar.

Bem no centro de Melides fica o restaurante O Fadista. Ideal para relaxar depois de um dia de praia, sente-se na esplanada a comer amêijoas, caracóis e saladas frias, acompanhados por uma cerveja bem gelada. Também serve massinha de sapateira e carnes de porco grelhadas.

Tia Rosa e o Quinta do Lourenço são outras opções para ensopado de enguias, borrego e bacalhau assado no forno, massa de cherne, carne de porco à alentejana e migas.

Comporta: areais, mar e tranquilidade a perder de vista

Fomos explorar a Comporta, a coqueluche de Portugal que tantas páginas tem enchido de publicações de turismo nacionais e internacionais. O que tem, afinal, de tão especial esta pacata aldeia alentejana? Fomos saber.

Read more

615 Shares

Artigos relacionados

1 comentário

Harold 24/03/2022 - 01:11

Uma vergonha como degradaram esse canto do litoral a exemplo de tantos outros. Em uma área que devia ser protegida pelos defensores do meio ambiente construíram quatro bares e restaurantes e pasmem – uma discoteca! Sem falar nos amontoados de casebres desordenados que a Câmara local autorizou a venda dos terrenos nessa área de praia que devia ser protegida. Junto a lagoa um extensa plantação de arroz cujos resíduos tóxicos contaminam a lagoa e causam frequentes mortandades de peixes. Tudo autorizado pelas autoridades lenientes. E depois ouve-se falar de observatórios de pássaros na lagoa; de abertura da lagoa para o mar para proteger as águas! Pura hipocrisia. E os frequentadores não protestam? Como dizia Bordalo Pinheiro: Olham para um lado, olham para o outro e …nada acontece. Bom proveito, recomendo irem a um desses restaurantes e comerem o peixe fresco da lagoa, vocês merecem.

Responder

Faça um comentário

Ao clicar em ENVIAR aceita a privacidade

Copy link
Powered by Social Snap