Monsanto

Monsanto

Podiam ter sido os moradores de Monsanto a inventar a expressão “o mundo está prestes a cair-me em cima” já que a este pequeno povo parece que lhe caíram, literalmente, enormes pedras da montanha sobre as suas casas.

É curioso, como conseguiram que um lugar repleto de enormes pedras fosse povoado por pessoas e o mais impressionante é que o resultado dessa improvável junção seja tão estupendo.

Monsanto

Nessa Gnatoush

Nesta aldeia é comum ver os telhados das casas completamente esmagados por enormes pedras. Aqui é comum poder tomar um café tendo como base estas peculiares rochas, com a maior naturalidade do mundo. Monsanto é um lugar autêntico e medieval, principalmente desde 1938, quando um concurso batizou esta aldeia como “A aldeia mais portuguesa de Portugal”, também mencionado pelo galo de prata da coroa Torre de Lucano (séc. XIV).

Pedra sobre Pedra

Monsanto

Migel

Monsanto

alexilena

A aldeia debruça-se sobre a muralha, hoje destruída, com as suas telhas encarnadas e as suas ruas de granito. Monstanto é uma das freguesias de Idanha-a-Nova no distrito de Castelo Branco.

As suas grandes pedras não são só o mais exclusivo de Portugal, mas também um alicerce da identidade desta aldeia. O tradicionalismo informal das suas ruas e os singulares edificios consagram-lhe o título que tanto preserva “A aldeia mais portuguesa de Portugal”.

  • A maior igreja do Séc.XV
  • A Rua da Chapela, lugar de repouso entre os antigos comerciantes que cruzavam a fronteira.
  • A Praça da Misericórdia, também de pedra com a Torre do Relógio pertencente a Lucano.
  • A Fonte do Ferreriro, cuja “água (…) matou a sede a muitos reis e príncipes”.
  • O Miradoro de Monsanto sobre as pedras da encosta.
  • O Castelo com a sua porta principal e a sua porta da traição.
  • A Praça da Cruz e a casa dos aristocratas Pinheiro.

Firmeza natural e histórica

Monsanto

ArbyDarby

Monsanto

Rolf E. Staerk

A firmeza de Monsanto é o reflexo da sua resistência histórica já que no séc. II aguentou inabalavelmente durante 7 anos a força do Império Romano. Ainda hoje essa firmeza é celebrada com a conhecida Festa das Cruzes.

Durante as batalhas contra o Reino de Leão a fortaleza de Monsanto não aguentou, porém, o caratér desta aldeia nunca foi derrubado. A muralha foi reconstruida quando, no séc XII, o rei D. Afonso Henriques doou a Vila à Ordem dos Templários e eles voltaram a reerguê-la, pedra por pedra.

Ainda assim, Monsanto teve uma outra oportunidade de mostrar ao mundo a sua força. No séc.XIX, quando o armazém de munições do castelo rebentou, voltou a destruír parte do castelo e da muralha. Se tivéssemos apenas esta informação, ao chegar a aldeia, poderíamos pensar que todas as gigantes pedras que estão a encurralar as casas foram o resultado daquelas explosões, mas na verdade as pedras sempre estiveram lá e foram as casas que se adaptaram a elas.

É de salientar que em Monsanto celebra-se no mês de maio, acompanhado pela primavera, a Feira Medieval. Sem dúvida, uma boa altura para conhecer esta aldeia tão única e auntêntica. De qualquer forma se o seu objetivo é maravilhar-se com as seus penedos, qualquer época do ano é boa, já que as pedras estiveram, estão e estarão como parte da identidade de Monsanto.

Casas de campo em Monsanto

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.