O cozido à portuguesa é um dos pratos mais conhecidos e apreciados da cozinha lusa. Este clássico português é uma mistura de sabores intensos, com uma grande variedade de carnes e legumes. Um pouco por todo o país, existem diversas variações deste clássico nacional. Algumas receitas incluem frango, presunto e feijão, outras dispensam alguns desses ingredientes. Em Trás-os-Montes não falta a alheira e no Algarve há quem junte ao cozido a batata-doce. No entanto, é nos Açores que esta iguaria assume um caráter único: o famoso cozido das Furnas é cozinhado debaixo da terra com a ajuda do calor vulcânico.

Quem visita São Miguel, a maior ilha do arquipélago dos Açores, não pode deixar de provar o cozido que é feito nas caldeiras naturais da Lagoa das Furnas. Rodeada de uma vegetação rica, a Lagoa das Furnas é um dos maiores pontos de interesse da ilha, quer seja pelas fumarolas e gêiseres do chão do Vulcão das Furnas, um dos cinco vulcões ativos de São Miguel, quer pela força da energia geotérmica.

No campo de fumarolas, que são aberturas na crosta terrestre de onde saem vapor de água e gases com um intenso cheiro a enxofre, foi criada uma “zona de cozidos”. Alguns dos buracos estão reservados para os restaurantes que servem o prato, mas se gostar de cozinhar poderá preparar você mesmo o cozido das Furnas. Mas avisamos já que não é tarefa fácil.

A lista de ingredientes é extensa e exige grande perícia na cozinha. Se quiser aventurar-se vai precisar de carnes de galinha, vaca e porco, morcela, chouriço, batata, batata-doce, cenoura, repolho, couve e inhame. Os vários ingredientes são colocados numa panela, que é atada com uma corda e colocada numa saca de pano dentro da caldeira. A caldeira tem de ser fechada com uma tampa de madeira e coberta com terra e não pode ser aberta até estar pronto.

O cozido demora entre cinco a sete horas para ser cozinhado pelo calor natural emanado da atividade vulcânica. Ali, a temperatura do solo é de, aproximadamente, 100ºC. Se chegar à Lagoa das Furnas entre as 12h e as 15h, irá com certeza ver algumas panelas a serem retiradas da terra quente e poderá então provar esta iguaria açoriana num dos restaurantes da zona.

Mas há muito mais para ver e experienciar nas Furnas, para além da gastronomia. Conhecida como a “sala de visitas dos Açores” devido aos fenómenos vulcânicos secundários existentes no Vale das Furnas, a freguesia das Furnas é uma das mais belas localidades do arquipélago. Aqui, poderá encontrar um pouco de tudo o que de melhor a ilha de São Miguel tem para oferecer.

Lagoa das Furnas

Lagoa das Furnas. Por JopkeB

Depois (ou antes) de provar o cozido das Furnas, porque não explorar os pontos de maior interesse da zona? Situada na margem poente da Lagoa das Furnas, reflectindo-se nas suas águas, poderá visitar a Ermida de Nossa Senhora das Vitórias, um impressionante exemplar do estilo neo-gótico, único em todo o arquipélago. Explore os miradouros do Pico do Ferro e do Salto do Cavalo, a partir de onde poderá observar como o Vale das Furnas se desenvolveu dentro da cratera do vulcão.

Após esta caminhada, siga para o Parque Terra Nostra, local onde poderá vislumbrar uma grande variedade de arbustos e árvores, algumas com mais de 200 anos de existência. Logo à entrada encontrará uma piscina de água termal a uma temperatura entre os 35 e 40°C onde se poderá banhar. Perca-se nos caminhos do parque e aprecie a bonita coleção de camélias que dão um toque de cor ao cenário. Ali perto não deixe de passar pela famosa Poça da Dona Beija, um místico espaço termal ao ar livre perfeito para relaxar ao final do dia.

Casas de campo na ilha de São Miguel

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.