Por Luis Fonseca

Com 1993 metros de altitude, é o ponto mais alto de Portugal Continental e o destino preferido dos portugueses na época fria. Este outono já viu cair os primeiros flocos de neve na Serra da Estrela, que, apesar de ainda não ter sido muita, já deu um toque de inverno à paisagem.

Mas nem só de neve e de desportos de inverno vive o Parque Natural da Serra da Estrela. Há muito mais para ver e fazer num dos melhores locais em Portugal para passar férias em pleno contacto com a natureza. Damos-lhe algumas sugestões para fazer um roteiro ao seu gosto e ritmo.

1. O que visitar

Covão d’Ametade

Por Hurtuv

O Covão d’Ametade é um dos locais mais simbólicos e bonitos da região e fica localizado no início do Vale Glaciário do Zêzere. Trata-se de uma depressão de origem glaciar, com vegetação envolvente, tornando-o num dos locais mais pitorescos da Serra.

O local está a cerca de 1500 metros de altitude e não está acessível nos dias de inverno mais rigoroso em que as estradas não permitem passagem devido à queda de neve.

Poço do Inferno

Por Catarina Conde

O Poço do Inferno localiza-se na Ribeira de Leandres, no concelho de Manteigas, e tem cerca de 10 metros de altura. As águas cristalinas e transparentes convidam a um mergulho durante as estações mais quentes. Mas a beleza desta cascata não é menor no inverno. Com as baixas temperaturas, várias vezes a água congela dando ainda mais encanto ao lugar.

Torre

Por Scheridon

A Torre é o ponto com maior altitude, não só da Serra da Estrela como também de Portugal Continental. No inverno, o manto branco que cobre a zona permite a prática de desportos de neve, enquanto que no verão a vista magnífica estende-se até ao mar da Figueira da Foz.

Covão dos Conchos

Por larahcv

Apesar do aspeto natural, esta abertura circular com queda de água numa lagoa foi construída pela mão do Homem para conduzir as águas da Ribeira das Naves para a Lagoa Comprida.

Este lago nas montanhas da Serra da Estrela foi criado artificialmente em 1955 durante a construção da barragem hidroeléctrica nas proximidades. O túnel foi projetado para fornecer água doce às comunidades próximas, mas o facto de não haver outras construções próximas faz com que o funil pareça mais uma parte do lago do que uma parte de um projeto de infraestrutura.

As plantas que crescem nas bordas do tubo de concreto e de granito tornam o buraco gigante ainda mais natural. Para chegar ao Covão dos Conchos terá que percorrer um caminho de 5 km a pé por uma estrada que parte da Lagoa Comprida e que alterna entre o razoável e o difícil.

Vale do Rossim

Por Paboim

É também no coração da Serra, mais precisamente nas Penhas Douradas, que irá encontrar o maior vale glaciar da Europa: o Vale do Rossim. Este lugar insere-se na Reserva Biogenética do Parque Natural da Serra da Estrela e, especialmente no verão, recebe vários turistas para usufruírem da praia fluvial na lagoa.

O Vale do Rossim é um local que combina a beleza única da natureza envolvente com várias atividades como o rappel, a canoagem e os passeios pedestres.

Loriga

Por Paulo Juntas

Esta pequena freguesia do concelho de Seia é conhecida como a “Suíça portuguesa” devido à sua impressionante paisagem e localização geográfica. Loriga está rodeada por montanhas, das quais se destacam a Penha dos Abutres com 1828 metros de altitude e a Penha do Gato com 1771 metros, que se encontram entre dois cursos de água, a Ribeira de Loriga e a Ribeira de São Bento.

A paisagem de Loriga é muito marcada pelos socalcos e pela sua complexa rede de irrigação, uma obra construída ao longo de centenas de anos e que transformou um vale rochoso num vale fértil.

Alvoco da Serra

Por Paulo Juntas

Pertence à rede de Aldeias de Montanha do Concelho de Seia e fica situada
no coração do Parque Natural da Serra da Estrela, Alvoco da Serra é uma localidade de fortes tradições e origens muito antigas. A aldeia conserva até alguns vestígios da presença dos romanos, nomeadamente uma calçada onde foram encontradas moedas da época.

A área envolvente convida a ótimos passeios, à descoberta das maravilhas e segredos da serra, entre lendas e histórias antigas.

Cabeça

Por Miguel Proença

Cabeça é outra aldeia que pertence à rede de Aldeias de Montanha do Concelho de Seia e que também se encontra em plena Serra da Estrela. Apesar de ser bonita durante todo o ano, este lugar ganha um encanto especial durante a época do Natal.

Em Cabeça predomina o casario em xisto e as histórias dos habitantes, que recebem cada pessoa de forma calorosa nas suas casas. A tradição e a identidade desta aldeia está muito associada ao cultivo dos campos em socalco e à pastorícia.

Folgosinho

Por Vitor Oliveira

Com uma origem remota, Folgosinho, no concelho de Gouveia, manteve-se uma povoação de difíceis acessos praticamente até inícios do século XX, conservando por isso fortes tradições durante a passagem dos séculos. O ex-libris da vila é o Castelo de Folgosinho que compunha um triângulo defensivo no vale do rio Mondego.

A fundação do castelo é atribuída ao lendário guerreiro Viriato, que aqui teria nascido. Lendas à parte, não pode perder a magnífica vista do cimo do castelo de onde poderá observar a natureza circundante e algumas cidades vizinhas e outras mais afastadas, como Mangualde, Celorico da Beira, Viseu ou mesmo Guarda.

2. O que fazer

Termas

Para combinar o cuidado medicinal com uma paisagem relaxante não há nada melhor do que as águas terapêuticas da Serra da Estrela. Em Unhais da Serra, irá encontrar um dos maiores mountain spa da Europa: o Aquadome. Já nas Termas de Almeida – Fonte Santa poderá encontrar as águas mais puras numa paisagem de verde infinito.

As Termas do Cró, no Sabugal, oferecem-lhe a tranquilidade necessária para uma escapada à rotina com águas medicinais e um ambiente de bem-estar único. As Termas Longroiva são especialmente indicadas para o tratamento de problemas reumáticos, enquanto que as Termas Caldas de Manteigas são as mais indicadas para tratar patologias respiratórias.

Trilhos pedestres

Por peuplier

A Serra da Estrela convida à descoberta de trilhos e caminhos para conhecer bem de perto a beleza natural deste lugar.

A Rota do Poço do Inferno é um trilho circular com uma extensão de 2,5 Km e com uma dificuldade média. Durante o percurso, que começa no parque de estacionamento do poço, poderá desfrutar de belas paisagens sobre o Vale do Rio Zêzere e o Vale da Ribeira de Leandres. Mas a cascata é mesmo o ponto mais atrativo desta rota.

A Rota do Glaciar é um trilho linear de dificuldade média com 17,2 Km de distância. É impossível ficar indiferente à paisagem ao longo do percurso e no final do Vale Glaciar do Zêzere é possível avistar o conjunto de casas típicas da Vila de Manteigas e também os pastos e os rebanhos de ovelhas.

Com 18,4 Km de extensão e uma dificuldade média, a Rota da Azinha inicia-se no Skiparque. Este percurso inclui também uma visita a uma antiga casa do guarda florestal.

A Rota do Maciço Central é uma rota circular difícil que pode ter entre 10 a 19,6 Km. O percurso começa junto ao cruzamento da estrada nacional para a Torre e passa por pontos emblemáticos como os Cântaros, a Ribeira, as Salgadeiras, entre outros.

Desportos de inverno

Por Sacavem

A Serra da Estrela é o único sítio em Portugal onde é possível praticar esqui na neve, bem como andar andar de trenó, de snowboard ou de motoski. Existem diversas pistas com infraestruturas de apoio e ainda vai encontrar pistas de neve sintética para esquiar mesmo quando a meteorologia não ajuda. A Estância de Esqui da Serra da Estrela abre dia 7 de Dezembro e fica em atividade até 26 de Abril.

3. O que comer

Por PUNTOSTUDIOFOTO Lda

Não pode visitar a Serra da Estrela sem experimentar algumas das iguarias típicas da região, como o arroz de carquejo, os enchidos, o cabrito assado e o bacalhau com pão.

Mas o produto mais famoso da região é mesmo o queijo da Serra. Com uma textura amanteigada, o queijo acompanha na perfeição o também tradicional pão. A importância destes dois produtos tem até honras de museu: o do pão em Seia e o do queijo na Covilhã.

Inaugurado em 2002, o Museu do Pão é um museu privado que pretende recolher, preservar e exibir os objetos e o património do pão português em todas as suas vertentes. O objetivo do Museu do Queijo é homenagear todos os homens e mulheres que se dedicaram à pastorícia e, sobretudo, o queijo. Único em Portugal, este museu é uma verdadeira viagem sensorial tanto à volta do queijo da Serra da Estrela, como pelas planícies da Cova da Beira.

Casas de campo perto da Serra da Estrela

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.