Por aroxopt

Portugal está na moda. Lisboa está na moda. O Porto está na moda. Na última edição dos World Travel Awards, os ‘óscares do turismo’ a nível mundial, Portugal voltou a mostrar que é o atual campeão mundial do turismo, ao receber 16 distinções.

É atualmente o campeão em título de Melhor Destino Turístico do Mundo, atribuído pelo segundo ano consecutivo a Portugal, Melhor Cidade Destino e Melhor City Break do Mundo, atribuídos a Lisboa, sendo o último uma revalidação, e Melhor Destino Insular atribuído à Ilha da Madeira.

E para além destes distintos prémios de reconhecimento mundial, muitos outros têm vindo nos últimos anos a ser atribuídos por diversas organizações europeias e mundiais. Merecidíssimos.

Mas… e para quem gosta mais de destinos igualmente estonteantes, mas ainda por descobrir? Pois esta é uma lista de sugestões de lugares carismáticos, mas que ainda continuam fora dos radares da maioria dos turistas estrangeiros que, de há poucos anos a esta parte, descobriram Portugal.

1. Parque Nacional da Peneda-Gerês

Por Gazilion

Mais de 70 mil hectares de vales íngremes, florestas de exuberantes carvalhos e perfumados pinheiros, cascatas e miradouros. É assim no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Localizado no Minho, a cerca de 100 km do Porto, este parque é um verdadeiro convite à apreciação da natureza no seu estado mais puro.

Abrangido por cinco concelhos e apenas habitado por oito a nove mil pessoas, neste parque permanecem centenas de aldeias de granito, que pouco mudaram desde o século XII. Sem dúvida, um dos locais mais bonitos de Portugal à espera de ser descoberto.

2. Guimarães

Por Filipe Fortes

Berço da fundação da identidade nacional portuguesa e da língua portuguesa no séc. XII, Guimarães é um dos tesouros de Portugal. Classificada como Património Cultural da Humanidade pela UNESCO, Guimarães é uma pitoresca cidade, cheia de vielas sinuosas e casas antigas, que nos conduzem à sua praça principal, o Largo da Oliveira, e ao antigo Palácio Ducal. Todos os anos, na primeira semana de agosto, celebram-se as Festas Gualterianas (realizadas desde 1452), ao estilo medieval, com um mercado de artesanato, feira de artes e um animado desfile de trajes antigos.

3. Buçaco

Por Edescas2

Desconhecida por muitos, a Serra do Buçaco é uma elevação marcada pelo encanto da sua flora e pelo peso da sua história. No extremo da serra, a 547 metros de altitude, encontra-se a Mata Nacional do Buçaco, uma área de 105 hectares, considerada Monumento Nacional, desde 1943. Classificada por botânicos como um dos melhores arboretos da Europa e por poetas como o “altar da natureza”, possui mais de 700 espécies de árvores (exóticas e indígenas).

Depois de se perder pelos caminhos da serra, descanse no Palácio Bussaco, um dos mais belos edifícios neomanuelinos de Portugal, ou visite o Convento de Santa Cruz, onde o General Wellington pernoitou durante a batalha do Buçaco.

4. Serra da Estrela

Por Fcpmarmelo

Uma das mais interessantes particularidades no nosso país é ser tipicamente um destino de sol, calor e praia, mas ter a capacidade de se transformar no mais perfeito destino de inverno, cobrindo-se de neve. Área demarcada e protegida, com 1993 metros de altitude, a Serra da Estrela é uma surpresa constante, que mantém a pureza de sempre, apesar das muitas atividades turísticas oferecidas na região, de verão e de inverno (que incluem, entre outras, ski, snowboard, passeios pedestres, canoagem, BTT, jogos de orientação, parapente, rappel ou escalada).

5. Tomar

Por Juntas

Para conhecer um conjunto monumental que marca sete séculos da história de Portugal e de grandes momentos da história do Ocidente é preciso rumar até Tomar. Património da humanidade, inscrito na lista do património mundial da UNESCO, em 1983, o Convento dos Cavaleiros de Cristo e o Castelo dos Templários são uma joia ímpar da nossa história. O Convento integra alguns dos mais expressivos testemunhos da história da arquitetura portuguesa, como a Charola românica da igreja, o claustro de D. João III e a famosa janela manuelina da Sala do Capítulo. Um capítulo da nossa história que não podemos deixar de visitar.

6. Parque Natural de São Mamede

Por Nuno Morão

A norte do Alentejo encontramos o Parque Natural de São Mamede, onde as passagens por Portalegre, Marvão e Castelo de Vide são incontornáveis. Cidade próspera e rica nos séculos XVII e XVIII pelo investimento na indústria têxtil, Portalegre é, ainda hoje, conhecida por essa tradição. Depois de uma visita ao Museu das Tapeçarias, ao Castelo e à grande Sé, é altura de seguir até ao Castelo de Marvão, onde somos invadidos por horizontes largos e por uma tranquilidade inesgotável.

Local de ruas estreitas e recantos pitorescos, o Marvão é uma vila medieval de visita obrigatória. A menos de 10km, encontra-se Castelo de Vide, uma das mais bem preservadas judiarias de Portugal. A antiga sinagoga, atualmente um museu, e as características ruas que parecem labirintos, dão-nos conta da presença judaica e da sua cultura.

7. Monsaraz

Monsaraz, Portugal

Por seregayu

Esta é considerada uma das mais antigas vilas do nosso país. Com uma atmosfera medieval e casas caiadas de branco, Monsaraz goza de uma incrível vista sobre as antigas e pequenas casas da vila e dos campos que se estendem em direção ao rio Guadiana, na fronteira entre Portugal e Espanha.

Nesta encantadora vila, os turistas poderão visitar, entre outros pontos de interesse, a Igreja de Nossa Senhora da Lagoa, a Torre de Menagem, o Pelourinho ou a Praça de Armas do Castelo. Há ainda a possibilidade de visitar monumentos megalíticos –como o Cromeleque do Xerez, o Menir do Outeiro, o Menir da Belhoa ou as Antas 1 e 2 do Olival da Pega–, mas também o Centro Oleiro de S. Pedro do Corval, considerado o maior do país, a fábrica das mantas alentejanas, ou desfrutar ainda do Grande Lago do Alqueva.

Publique um comentário

* Estão marcados os campos obrigatórios.