Frequentemente apelidado de ‘Stonehenge Português’, este conjunto de menires em pedra dispostos em círculo, localizado a 10 quilómetros de Évora, leva mais dois mil anos do que o seu ‘homólogo’ britânico. Não tem é a sua fama. Com cerca de sete mil anos, o Cromeleque dos Almendres é um dos maiores e mais importantes monumentos megalíticos do mundo, não só pela grandeza, como pelo seu excelente estado de conservação.

Esta calorosa cidade alentejana tem muitas particularidades inusitadas. Uma capela forrada a ossos? Mas quem se terá lembrado disso? Um templo românico semelhante à Acrópole de Atenas? Um cromeleque mais antigo do que o próprio Stonehenge, mas que pouca gente conhece? Pois é, a história do mundo pode ser visitada em Évora.

Évora, a cidade-museu, Património da UNESCO desde 1986, possui um conjunto urbano com uma ocupação de mais de 2000 anos, e excepcionalmente bem conservado. Durante o século XVI foi temporalmente residência da Família Real, e a presença da Corte foi um dos motivos para a riqueza arquitetónica da cidade. Isso e ter sido das poucas cidades portuguesas a não ficar destruída no Terremoto de 1755.

Zebras, avestruzes, veados, entre muitos outros animais, andam à solta no Monte Selvagem – Reserva Animal, em Lavre, concelho de Montemor-o-Novo, distrito de Évora. E podem vir ter consigo no passeio de trator que se faz neste parque temático. Com 20 hectares, dá guarita a 350 animais, de 60 espécies… alguns enclausurados pelas razões óbvias, […]