Mapa
Chegada - Saída

Pessoas:

Preço médio:

De a
pessoa / noite

Arrendamento

Comodidades principais:

Morada:

Outras comodidades:

Serviços:

98 Casas de campo: Açores

Relevantes primeiro
  • Calendário atualizado
  • Melhor valoradas
  • Mais comentários

Quinta dos Figos

Praia da Vitória

A Quinta dos Figos localiza-se na verdejante Ilha Terceira dos Açores. Antigamente pertencia a uma família rural e duran...

Casa completa ou quartos
2 - 20 pessoas
10 quartos
36 camas
29€ pess./noite

Adega Pedra do Lagar

Lajes do Pico

A Adega Pedra do Lagar é uma casa é confortável que está totalmente equipada para que tenha uma estadia descansada. Disp...

Casa completa
2 - 7 pessoas
3 quartos
3 camas
14€ pess./noite

Casas do Termo

Ribeira Chã

A Casa do Termo, casa senhorial rural do século XVIII, situa-se em Termo da lagoa, Ilha de S. Miguel. Este alojamento pe...

Casa completa
1 - 9 pessoas
5 quartos
6 camas
24€ pess./noite

Casa da Umbelina

Lajes do Pico

A Casa da Umbelina localiza-se em Ribeiras, na Ilha do Pico e proporciona-lhe uma excelente vista sobre a baía das ribei...

Casa completa
1 - 5 pessoas
2 quartos
2 camas
10€ pess./noite

O Moinho da Bibi

Ponta Delgada

O moinho da Bibi, classificado como Património Regional, situa-se em Canada do Moinho, na Ilha de S. Miguel. Dispõe de 2...

Casa completa
1 - 4 pessoas
2 quartos
2 camas
32€ pess./noite

Solar da Glória ao Carmo

Ponta Delgada

O Solar da Glória ao Carmo localiza-se na costa sul da ilha de São Miguel, muito perto da cidade de Ponta Delgada. A Cas...

Quartos
1 - 10 pessoas
5 quartos
27 camas
56€ pess./noite

Quinta São Caetano

Ponta Delgada

A Quinta São Caetano, do ano de 1875, situa-se perto de Ponta Delgada. Dispõe de 3 quartos, casa de banho privativa, ace...

Casa completa
1 - 6 pessoas
4 quartos
5 camas
38€ pess./noite

Casa de Baixo

Ribeira Grande

O Pico do Refúgio passou por um período de reformulação entre 2005 de 2008. Respeitou-se as funções originais de cada ed...

Casa completa
2 - 4 pessoas
1 quarto
2 camas
56€ pess./noite

Casa do Paim

São Roque do Pico

A Casa do Paim localiza-se no lado norte da Ilha do Pico. Deriva de uma habitação de família construída pela patriarca d...

Casa completa
1 - 6 pessoas
2 quartos
3 camas
30€ pess./noite

Casa do Alto da Bonança

Santa Luzia

A Casa do Alto da Bonança, localizada na ilha do Pico, Açores, é constituída por 3 unidades de alojamento distintas (T3 ...

Casa completa
1 - 12 pessoas
5 quartos
10 camas
20€ pess./noite

21 - 30 de 98 alojamentos rurais

Os Açores, perdidos no Oceano Atlântico

Turismo rural nos Açores

Levamo-lo a um arquipélago de nove ilhas portuguesas secularmente sujeitas às forças da natureza: vulcões, terramotos, a bravura do Atlântico, ventos fortes que movem as nuvens a seu bel-prazer e fá-lo-ão viver várias estações no mesmo dia… Este é o Big Bang que gerou paraísos naturais semelhantes.

Os voos low cost tornaram-nos mais acessíveis ao turismo. Mas vamos com cuidado com esta faca de dois gumes. Sejamos respeitadores e ajudemos a cuidar da sua autenticidade!

Santa Maria: a ilha do Sol

Ganhou a alcunha pelo seu clima mais quente e paisagens com tons amarelados. Damos-lhe algumas ideias do que fazer:

Deleite-se com o seu mosaico cromático: o azul turquesa das suas águas, o dourado das suas praias, o ocre escuro da terra, o verde dos campos, o branco das suas casas, as combinações avermelhadas e alaranjadas dos seus barreiros... Como o Barreiro da Faneca, chamado “deserto vermelho”.
Conheça a sua arquitetura: casas tradicionais caiadas com chaminés cilíndricas, igrejas pitorescas como a de Nossa Senhora da Purificação (em Santo Espírito)...
Dê um passeio pela baía de São Lourenço junto às suas vinhas, que trepam pelo terreno como se de degraus de um imenso anfiteatro se tratasse.  
Chegue de barco ao ilhéu de Romeiro e à sua gruta.
Examine fósseis de organismos marinhos em Pedreira do Campo.

São Miguel, a irmã mais velha

É a ilha mais extensa, mas seja de charrete, comboio turístico por Ponta Delgada (a capital), de carro alugado… ou à boleia, conseguirá encontrar algumas das suas pérolas:

Procure as emblemáticas lagoas das Sete Cidades e do Fogo.
Vai perceber o poderio que tem a sua natureza sempre que vir emergir um géiser.
Conhecerá localidades como Ponta Delgada e Ribeira Grande, com moinhos, casas solarengas e uma arquitetura tradicional com detalhes em basalto, parapeitos de ferro e azulejos que ganham vida na Fábrica de Cerâmica de Lagoa.
Verá as nuances do litoral: a costa escarpada e exuberante do Nordeste, o porto de pesca artesanal de Caloura, a grande piscina abraçada pelo ilhéu de  Vila Franca do Campo (acesso de barco entre junho a setembro)…
Aprenderá acerca do cultivo do chá nas fábricas da Gorreana e do Porto Formoso.

Quinteto de terra e água: as ilhas do grupo central

A tercera ilha do arquipélago a ser descoberta foi a Terceira e está capitaneada por Angra do Heroísmo e pelas suas históricas fortificações. Um tour pela costa ajudá-lo-á a familiarizar-se com a Praia da Vitória e os ilhéus das Cabras, os moinhos de farinha de Agualva, o parque florestal da Mata da Serreta...

São Jorge é a ilha das Fajãs: pequenas planícies costeiras que nasceram devido a um deslizamento de lava ou de terras, há mais de 40! Também é conhecida pelas suas colchas de ponto alto ou mantas de São Jorge. Poderá ver como se tecem em Fajã dos Vimes.

Do Pico, as suas videiras bem enraizadas em campos de lava pretos (lajidos) encandeiam numa paisagem delimitada por muros de pedra. Aqui, ergue-se a montanha mais alta de Portugal e o terceiro maior vulcão do Atlântico: Pico (2351 metros), com um cone de lava chamado Piquinho que vai soltando fumos.

O Faial alimenta-se de hortênsias (daí a sua alcunha: Ilha Azul) e o corpo de um vulcão que recorda uma paisagem lunar: Capelinhos, que se reformou ou tirou uma licença com a erupção de 1958. Tire uma selfie junto aos seus apelativos moinhos ou no jardim botânico do vale de Flamengos.

E a Graciosa é a Ilha Branca, pelas suas rochas e pelos seus topónimos. Verá como se cobre com vinhas, uma arquitetura tradicional e moinhos de vento. Algo que não pode perder: ver os seus ilhéus e a caldeira da Graciosa, com as suas duas grutas.

No mais remoto

As Flores refrescam-se com grandes cascatas (como a da Ribeira Grande) e sete crateras ocupadas por sete lagoas, e deve o seu nome à lembrança de umas flores amarelas que cobriam toda a ilha. Se há algo peculiar aqui são as colunas de basalto da Rocha dos Bordões.

O Corvo, a irmã mais nova das ilhas, expande-se à volta da sua caldeira. A sua única povoação, Vila Nova do Corvo, assenta numa fajã e mostra fachadas de pedra preta com detalhes brancos em portas e janelas e fechaduras de madeira típicas. E o vento também se enreda nas pás dos seus moinhos.

Golfinhos em liberdade

Uma pequena expedição de barco levá-lo-á a avistar baleias e golfinhos, e poderá mergulhar e nadar livremente junto deles. Das ilhas também não esquecerá os céus escuros salpicados de estrelas e a sua grande variedade de aves. As migratórias deixam-se ver sobretudo no Corvo e nas Flores (especialmente na Lagoa Branca).

A água será a sua grande aliada tanto se pretende enfrentar ondas para fazer surf como se quiser relaxar em piscinas naturais, praias de areia fina branca ou vulcânica e águas termais (como na Ponta da Ferraria e no Vale das Furnas, em São Miguel).

Coroas e sopas de império

Os açorianos são muito dados à fé (certamente que a sua localização tem algo que ver!) e isto está patente em celebrações como as Festas do Espírito Santo (abril-setembro). São comuns em todas as ilhas, mas destacam-se as de Santa Maria pelas suas sopas de império e as da Terceira, com os seus 70 impérios: pequenas construções coloridas que recebem uma coroa de prata nos seus altares.

Outras celebrações especiais são as Sanjoaninas de Angra do Heroísmo e as Danças de Carnaval da Terceira (a Ilha Festiva), as coloridas Cavalhadas da Ribeira Grande de São Miguel (junho), as corridas de botes baleeiros do Pico...   

Para aguentar tanta agitação, em Santa Maria, alimentam-se com caldo de nabos servido por cima de fatias de pão. Em São Miguel, com cozido nas caldeiras das Furnas, cozinhado com o calor da terra dentro de panelas que se enterram. No Faial e no Pico, com polvo guisado com vinho… Não lhe faltará um vinho verdelho e sobremesas como queijadas ou coscorões.