Casas de campo em Algarve

Algarve

Nº de pessoas

Pesquisa livre (Localidades, regiões, zonas...)

Chegada Saída

Preço médio

Tipo de aluguer

  • Ver mais
  • Selecionou outra 0
    Comodidades Modificar
    Selecione outra característica Modificar

77 alojamentos que coincidem com os seus requisitos

Ver no mapa
Relevantes antes

Casa Bela Moura

Lagoa
Casa completa ou quartos
1 - 20 pessoas
15 quartos
32 camas
64 
pess. noite
aprox

A Casa Bela Moura localiza-se no centro do Algarve, perto da praia de Porches. Neste alojamento terá a sensação de tranq...

Quinta dos Poetas

Olhão
Casa completa ou quartos
1 - 44 pessoas
22 quartos
3 camas
50 
pess. noite
aprox

A Quinta dos Poetas, situada em Olhão, situada na zona rural de Olhão, dispõe de quartos com uma varanda privada de onde...

Quinta da Ribeira - Casa Vermelha

Aljezur
Casa completa
1 - 5 pessoas
2 quartos
3 camas
17 
pess. noite
aprox

A Quinta da Ribeira está localizada na Costa Vicentina, e tem no conjunto 4 casas rurais à sua disposição. Em pleno cam...

Monte da Vilarinha

Aljezur
Casa completa ou quartos
1 - 10 pessoas
11 camas
78 
pess. noite
aprox

Sinta a atmosfera relaxante do Monte da Vilarinha. Debruçado sobre um vale, em pleno Parque Natural do Sudoeste Alenteja...

Monte da Xara

Aljezur
Casa completa
1 - 4 pessoas
1 quarto
3 camas
14 
pess. noite
aprox

Situado em Aljezur, a 7minutos de praias de sonho, o Monte da Xara é a Casa de Campo/ Turismo Rural ideal para quem gost...

Quinta do Mel

Albufeira
Casa completa ou quartos
30 pessoas
12 quartos
14 camas
46 
pess. noite
aprox

A Quinta do Mel está localizada em Açoteias, concelho de Albufeira, é uma quinta familiar com 40 hectares de terreno. Aq...

Casa Belaventura

Boliqueime
Casa completa ou quartos
1 - 12 pessoas
11 camas
84 
pess. noite
aprox

A Casa Belaventura localiza-se em Boliqueime. Está circundada por um jardim com palmeiras e flores. É de destacar a p...

Vila das Laranjeiras

Albufeira
Casa completa
2 - 6 pessoas
6 quartos
6 camas
27 
pess. noite
aprox

A Vila das Laranjeiras, está situada em Olhos de Água, Albufeira. É um alojamento familiar composto por três pisos, pisc...

Quinta Seis Marias

Lagos
Casa completa ou quartos
12 pessoas
14 camas
23 
pess. noite
aprox

A Quinta Seis Marias é uma quinta centenária de 6 Hectares. Foi adquirida na década de 80 pelos pais das proprietárias. ...

Quinta da Cebola Vermelha

Boliqueime
Por quartos
1 - 18 pessoas
9 quartos
12 camas
67 
pess. noite
aprox

A Quinta da Cebola Vermelha situa-se em Boliqueime, no Algarve. É uma quinta centenária remodelada, no entanto, manteve ...

1 - 10 de 77 alojamentos rurais

Algarve: um Sul cheio de luz

Temos tanta vontade de lhe contar tudo o que sabemos acerca deste destino que não vamos andar com rodeios... (Só adiantamos que os seus habitantes são agradáveis e acolhedores como o seu clima.) Vamos lá! Rumo às profundezas do Portugal continental...

Areais, rias e marismas

No litoral, alternam-se pequenas baías abrigadas pelas rochas com imensos areais (especialmente, para o Leste) que acabam onde se erguem falésias de ouro. As formações rochosas da Ponta da Piedade (em Lagos) e a gruta do Xorino (em Albufeira) chamarão a sua atenção.

Terá 200 quilómetros de praias de areia branca e fina. Umas, com algum vislumbre de selvagem, sobretudo na Costa Vicentina, ou totalmente intactas, como a praia da ilha Deserta (em Faro). Outras, com tonalidades mágicas que se agudizam com o pôr-do-sol, como a praia da Falésia (em Albufeira). Todas, em frente a uma faixa de azul que sabe manter bastante a calma, para que possa mergulhar.   

O Parque Natural da Ria Formosa, com um sem-fim de canais, será um local maravilhoso para ver caimões (o seu símbolo), flamencos e outras espécies de aves. Também um ou outro guarda-rios, camaleão e cão de água, que é uma raça autóctone portuguesa.

As marismas de Castro Marim e Vila Real de Santo António acompanham o percurso do rio Guadiana. Pode fazê-lo a bordo de um barco. Ou circular a pé ou de bicicleta entre a brancura das suas salinas e ver como se extrai o sal. Desde o castelo de Castro Marim, terá uma agradável perspetiva e até poderá avistar alguma cegonha em voo.  

Localidades a não perder

  • Vila do Bispo, no extremo ocidental. A freguesia de Sagres tem uma fortaleza e um meio natural de cortar a respiração.
  • Na amuralhada Lagos, ouvirá histórias de piratas e navegantes, como a de Gil Eanes, que partiu daqui para demonstrar que o mundo continuava além destas águas. Fique a ver como os barcos levam o seu peixe para a lota. E descubra os interiores dourados da igreja de Santo António e casas com pátios frescos, ferro forjado nas varandas e pedras esculpidas em portas e janelas.
  • Silves foi a capital do reino árabe do Algarve. Um castelo vermelho cobre-lhe as costas enquanto olha para os seus campos de laranjeiras. O seu conjunto de ruas medievais e a mesquita principal transformada em catedral também contam antigas histórias. Se quiser, poderá descer de barco até Portimão.
  • São Bartolomeu de Messines aproximá-lo-á do mundo dos menires.
  • Armação de Pêra mostrar-lhe-á as fainas dos pescadores na mesma praia.
  • Faro. Aventure-se a averiguar a sua faceta muçulmana caminhando diretamente até ao seu coração: Vila Adentro. Medite acerca da vida no Arco do Repouso e depois relativiza desde o ponto mais alto do Sul do Portugal continental: o farol do cabo de Santa Maria. Não encontrará mais transcendência do que nos seus pores-do-sol: excelentes nas ilhas da Culatra e do Farol. 
  • Estoi conta com outro capítulo da história, disposto sobre as ruínas romanas de Milreu (uma casa senhorial e as suas dependências).
  • Se for a Tavira, repare como vai diminuindo ao subir até ao seu castelo. Passeie pelo seu centro histórico seguindo o rasto da sua muralha islâmica. Pode ser arrepiante, ao mesmo tempo interessante, percorrer o cemitério de âncoras da praia do Barril. Se quiser ir um pouco mais longe, as cascatas do Moinhos da Rocha e do Pego do Inferno estarão à sua espera. 
  • A aldeia de Cacela Velha, de origem árabe. Desde a sua fortaleza, poderá ver bem a costa Este do Algarve.

Paramos no tempo?

Se quiser, consegue. Aqui, terá centros de spa e de talassoterapia para o ajudar. Uma boa escolha, as “águas sagradas” (segundo os romanos) das termas de Monchique, situadas num vale da serra de Monchique. Quando tiver acabado, faça uma incursão ao pico da Fóia. Tem prémio: as suas vistas, e todo o caminho percorrido.

Sentirá o cheiro a presente quando estiver a desfrutar ao máximo. Isto é algo que também poderá fazer seguindo quatro trilhos (a pé ou de bicicleta) para conhecer mais a fundo o Algarve:

Dois que perfilam a costa: a Rota Vicentina, um total de 241 quilómetros de Norte a Sul (contando a porção alentejana), e a Ecovia do Litoral, 214 quilómetros de Oeste a Este, de Sagres a Vila Real de Santo António.

Um que se apanha no curso de um rio: a Grande Rota do Guadiana, cerca de 65 quilómetros que ligam os municípios de Alcoutim e Vila Real de Santo António (já junto ao mar).

E outro que o levará de Oeste a Este até ao interior: a Via Algarvia (uns 300 quilómetros em 14 etapas), do Cabo de São Vicente a Alcoutim.

Algumas festividades a ter em conta

De Albufeira, vai atrai-lo bastante a procissão de barcos que ocorre em agosto à volta da ermita de Nossa Senhora da Orada.

Em Pêra, terá um encontro com uma bela arte que desmorona no Festival Internacional de Esculturas de Areia (maio-outubro).

E, sem dúvida, Silves é um dos melhores lugares para regressar à época medieval. A sua Feira Medieval (agosto) rematará os detalhes da viagem.

Gastronomia do mar e terra

A sua riqueza marítima dá lugar a elaborações como o arroz de lingueirão e pratos duplamente refrescante como as saladas de polvo ou de atum de Tavira. Também nos leva às deliciosas feiras do marisco de Olhão e Faro (agosto), onde se cozinha o peixe e o marisco num utensílio de cobre tradicional do Algarve: a cataplana. 

Procure um recanto na zona ribeirinha de Portimão para provar as suas especialidades: a sardinha assada (um festival em agosto) e as feijoadas de búzios. E repare que em Silves é costume cozinhar com citrinos. Para o comprovar, temos os carapaus alimados e as fatias do Barrocal (já mais típicas da serra), elaboradas com carne de porco e sumo de laranja.

Saberão adoçá-lo com folhados de Messines e Tavira, morgado de Silves (dos mais famosos na zona) e dom-rodrigos de Lagos (doces conventuais).

Procurar alojamentos