Mapa
Chegada - Saída

Pessoas:

Preço médio:

De a
pessoa / noite

Arrendamento

Comodidades principais:

Morada:

Outras comodidades:

Serviços:

50 Casas de campo: Madeira

Relevantes primeiro
  • Calendário atualizado
  • Melhor valoradas
  • Mais comentários

Vila Afonso

Câmara de Lobos

A Vila Afonso, do século XVII, pertenceu a Manuel Pinto Correia (Administrador de Câmara de Lobos no fim do século XIX), é uma casa de campo (4 gerações na família) e localiza-se no Estreito de Câmara...

Casa completa ou quartos
2 - 11 pessoas
6 quartos
10 camas
38€ pess./noite (aprox.)

Agroturismo da Fajã dos Padres

Quinta Grande

O Agroturismo da Fajã dos Padres está localizado em Quinta Gandre, na Ilha da Madeira. Numa zona privilegiada adquire, por isso, o seu carácter de pequena unidade de turismo quase natural. A reabilita...

Casa completa
2 - 5 pessoas
9 quartos
3 camas
51€ pess./noite (aprox.)

Estalagem do Vale

São Vicente

A Estalagem do Vale localiza-se em São Vicente, no Norte da Ilha da Madeira em plena Floresta Laurissilva. Este alojamento disponibiliza 36 quartos duplos standard e 5 quartos duplos superiores, um de...

Quartos
2 - 4 pessoas
40 quartos
3 camas
33€ pess./noite (aprox.)

Casa Tenda

Arco da Calheta

A Casa Tenda situa-se no Arco da Calheta na Calheta e pertence as Casas do Calhau Grande. A casa é confortável e está totalmente equipada para uma estadia descansada inserida num ambiente rural. Dispo...

Casa completa
2 - 3 pessoas
2 quartos
2 camas
30€ pess./noite (aprox.)

Quinta Mãe dos Homens

Funchal

A Quinta Mãe dos Homens, localizada acima da Zona Velha da cidade do Funchal, fica a uma curta distância a pé do centro da cidade. A Quinta possui várias tipologias de alojamento, no entanto todas pos...

Casa completa
23 - 75 pessoas
23 quartos
67 camas
37€ pess./noite (aprox.)

Vila Joaninha

Santo António da Serra

A Vila Joaninha fica no Santo da Serra, na Ilha da Madeira, e está decorado de forma acolhedora e requintada. Este alojamento está numa localização ideal, perto do aeroporto, e próximo da maioria das ...

Quartos
1 - 3 pessoas
3 quartos
2 camas
25€ pess./noite (aprox.)

Quinta da Quebrada

Arco de São Jorge

A Quinta da Quebrada é constituída por 7 pequenas casas de tipo T1 e 1 casa do tipo T2.

Casa completa
1 - 6 pessoas
7 quartos
4 camas
24€ pess./noite (aprox.)

Quinta das Eiras

Santa Cruz

Em plena montanha, na vila de Santo da Serra, A Quinta das Eiras proporciona uns dias diferentes, neste projeto único envolvido na natureza. Algumas das casas de madeira, à semelhança dos abrigos de m...

Casa completa
1 - 16 pessoas
8 quartos
8 camas
32€ pess./noite (aprox.)

Casa do Caminho Verde

Arco da Calheta

A Casa do Caminho Verde, está em uma localização privilegiada no alto da montanha em Arco da Calheta, com uma paisagem rural, proporcionando aos seus hóspedes uma vista magnífica. Tudo isso com um ser...

Casa completa ou quartos
1 - 18 pessoas
7 quartos
15 camas
50€ pess./noite (aprox.)

Casa do Ribeirinho

Porto Moniz

A Casa do Ribeirinho situa-se em Porto Moniz. É uma típica casa de campo com oito confortáveis quartos com casa de banho privativa, aquecimento e todas as comodidades para uma estadia confortável. Pos...

Quartos
7 - 16 pessoas
8 quartos
11 camas
31€ pess./noite (aprox.)

1 - 10 de 50 alojamentos rurais

Venha tocar na Madeira

Turismo rural na Madeira

No Atlântico, à altura de Marrocos, há um quinteto que funciona muito bem como arquipélago. Duas ilhas, as maiores, são habitadas: Madeira e Porto Santo. Enquanto a Sudeste há um trio rochoso e alargado que não permite hospedagem humana, são as ilhas Desertas: Ilhéu Chão, Deserta Grande e Bugio.

São todas de origem vulcânica (vai ver que têm caráter!) e dois terços da sua superfície estão marcados como área protegida. Já está na hora de explorar, Indiana Jones?   

Onde a natureza joga todas as suas cartas

Aqui, vive-se uma eterna primavera! Vai andar por um cenário de cor verde esmeralda, com pequenos apontamentos coloridos e insistentes que correspondem ao exotismo das suas flores. E todo com um azul intenso como fundo permanente: o Atlântico.

No Parque Natural da Madeira (reserva biogenética terrestre e marítima), encontrará árvores gigantes, vegetação regular e exemplares únicos no mundo, como por exemplo, a orquídea da Serra (Dactylorhiza foliosa). E, aqui, abrigam-se aves endémicas como a estrelinha-de-poupa da Madeira.  

A água inunda tudo, também a doce! Os antepassados madeirenses tiveram o cuidado de dirigir o seu curso por vales e ladeiras para cobrir as suas necessidades. O resultado são as levadas, canais de água que percorrem paragens como o Parque Natural da Madeira e o Parque Ecológico do Funchal.

E a costa recorta-se, sob a influência dos vulcões, seguindo os pontos de falésias elevadas, praias de pedras e areia e piscinas naturais na rocha (como as de Porto Moniz).

Algo muito particular

Mergulhe nos 20% mais genuínos da Madeira. Este pedaço de ilha, nada mais e nada menos do que uns 15 000 hectares, está coberto por uma floresta primitiva de laurissilva que é a inveja das laurissilvas de todas as ilhas atlânticas e do continente europeu, onde quase não resta nem a recordação. Aqui, olhe para Norte com ar risonho e subtropical.

Funchal, a capital

É uma cidade que acumula mais de 500 anos às costas. O seu centro histórico tem boas dimensões para o percorrer a pé. Revelar-lhe-á a sua Sé, uma igreja gótica que alterna entre o branco mais puro com o ladrilho mais escuro e usa o estilo mudéjar para cobrir um teto interior de alfarje com madeira de cedro. Também ficará impressionado com a Igreja do Colégio, dourada e repleta de azulejos por dentro.

No Mercado dos Lavradores, encontrará um verdadeiro festival cromático, olfativo e gustativo: frutas exóticas, cana-de-açúcar, bolo de mel… Uma tentação para a sua máquina fotográfica e o seu paladar! E sabe combinar maravilhosamente com vendedoras de flores, lotas de peixe e bancas de artesanato.

Outra paragem que verá a léguas (pelo amarelo da sua fachada): o Forte de São Tiago, que faz braço de ferro com o mar. E não perca o Museu do Vinho e o Museu do Bordado.

Mais assentamentos humanos

Precisará de mais contacto com as pessoas do território, mas agora a mais pequena escala (embora continue a acompanhar-se de natureza por atacado)...

Câmara de Lobos equivale à descrição de “uma cativante aldeia de pescadores”, com as barcas prontas a fazer-se ao mar e um porto e uma série de fachadas que vivem viradas para as ondas. No alto do cabo Girão, praticamente poderá tocar no céu.

Outras paragens costeiras inevitáveis são o Caniçal (e a sua ponta de São Lourenço) e São Vicente, que lhe oferece a Rota da Cal e uma interessante visita às Grutas e ao Centro de Vulcanismo. E uma quarta!: Santana e as suas encantadoras casas tradicionais. E com um parque temático para os mais pequenos desfrutarem, assim como para a sua criança interior.

No Curral das Freiras, mesmo no miradouro Eira do Serrano, tem à sua espera vistas altamente fascinantes de portas para dentro. Como no Pico do Areeiro e na Encumeada.

Porto Santo, a Ilha Dourada

É o ator secundário dentro do arquipélago, mas não menos importante. Um avião ou um ferry levá-lo-ão até aqui, onde poderá tomar um banho curativo (leu bem!) escolhendo o seu recanto entre vários quilómetros de praias douradas.

Tem à sua espera Vila Baleira (a capital) e a sua pitoresca Casa Museu de Cristóvão Colombo, o miradouro da Portela com os seus moinhos de vento, o singularíssimo pico Ana Ferreira e uma enorme subida até ao Pico do Facho (o seu ponto mais alto: 517 metros).   

Ainda lhe sobra tempo?

  • Ultrapasse as nuvens com uma incursão aos picos do Areeiro e Ruivo.
  • Descubra onde o levam os caminhos e a rede de levadas que cruzam as florestas de laurissilva. Poderá segui-las a uns 3000 quilómetros de cascatas e água calma!
  • Se gosta de mergulho, refresque-se nas águas turquesas do Porto Santo ou da Reserva Natural de Garajau, onde o saudarão grandes peixes como os meros.
  • Divirta-se a fazer surf na aldeia de Paul do Mar.
  • Entre a bordo de um barco com a proa a apontar para as ilhas Desertas, onde habita a pouco vista foca-frade. Bastante mais para baixo (cerca de 280 quilómetros), as ilhas Selvagens enchem-se de cantos de pássaros de todo o tipo. Toda a travessia promete o encontro com golfinhos, baleias, tartarugas-bobas…      

O brinquinho e o Bailinho da Madeira

O Funchal oferece-lhe o seu carnaval e uma Festa da Flor cujas cores e fragrância ficarão gravadas na sua memória.

A freguesia de Camacha é muito hábil com o artesanato em vime e sabe valer-se do brinquinho, um instrumento musical muito peculiar, para marcar o ritmo da sua dança mais típica: o Bailinho da Madeira. Por outro lado, os artesãos de Vila Baleira brincam com conchas, canas, folhas de palmeira…   

No Porto Santo, divertem-se com as Festas de São João (junho), padroeiro da ilha. Encenam histórias de navegantes com o Festival de Colombo (setembro). E repetem ritos ancestrais com a Festa da Vindima (agosto).

Mas as especialidades que lhe saberão melhor serão a sopa de trigo, a espetada de carne de vaca em pau de loureiro, a carne de vinha-d’alhos, o bolo do caco e a poncha, um licor muito típico.