Perante a ameaça do coronavírus em Portugal e no mundo, o melhor conselho que lhe podemos dar é que fique em casa. Contudo, essas medidas de contingência não significam que tenha que deixar de fazer o que mais gosta. As circunstâncias atuais têm aguçado a arte e o engenho das pessoas e há várias formas criativas de passar a quarentena. Sabia que pode visitar vários museus e outros monumentos portugueses de forma virtual?

A filigrana não é algo exclusivo de Portugal nem foi inventado pelos portugueses. Desde a antiguidade greco-romana que esta arte de trabalhar o ouro e a prata através de delicados fios é utilizada na joalharia, tendo sido também usada numa grande variedade de objetos decorativos. Contudo, enquanto que noutros países a tradição da filigrana se foi perdendo, em Portugal foi-se apurando. A partir do século XVII, a filigrana portuguesa já tinha construído um caminho muito próprio e assentava em moldes muito diferentes de qualquer outra filigrana.

“Se you falar debagarico cun bós, bós cumprendereis todo, ora si?”, atira Alcides Meirinhos, membro da Associaçon de la Lhéngua i Cultura Mirandesa e um dos grandes impulsionadores do mirandês. E a verdade é que sim, conseguimos compreender tudo, ainda que nunca tenhamos tido contacto com a língua mirandesa. “Porque a língua mirandesa é principalmente uma fala”, explica o também escritor e tradutor.

Muito antes da tecnologia ter tomado conta das nossas vidas facilitando (ou complicando?) as relações amorosas e conectando pessoas de todo o mundo, as declarações de amor das mulheres minhotas, em idade de casar, era feita com bordados.

Caretos há muitos. Mas os caretos de Podence são os únicos que têm chocalhos e que, desde dezembro de 2019, integram a lista da UNESCO de Património Cultural Imaterial da Humanidade. Todos os anos, durante o Entrudo, que este ano decorre de 22 a 25 de fevereiro, a paz que habitualmente reina nesta aldeia de cerca de 200 habitantes do concelho de Macedo de Cavaleiros é interrompida por estas personagens endiabradas que saem à rua para chocalhar as raparigas.

Não é de estranhar que um país como Portugal, com 840 anos de história, tenha tido várias capitais. É provável que pense imediatamente em Guimarães como capital do então Condado Portucalense. Mas a História conta que houve mais três, para além de Guimarães e da atual Lisboa. Não acredita? Então descubra connosco as cinco cidades que já foram capital de Portugal.

Há estações de comboio que são verdadeiras jóias arquitetónicas e que só por si merecem uma visita. De norte a sul do país, propomos-lhe que embarque connosco numa viagem pelas mais belas estações ferroviárias do país.

Os lugares abandonados têm um encanto especial e atraem cada vez mais turistas fascinados pela aura quase mística destes edifícios. Cada uma dessas construções enigmáticas e abandonadas no tempo carregam uma história própria e surpreendente. Apesar de vandalizados e engolidos pela natureza, eles continuam deslumbrantes. Cada um deles com uma beleza especial e muito própria, são inúmeros os locais abandonados em Portugal. Selecionámos oito locais abandonados no nosso país que o irão levar por uma viagem ao passado.

Portugal é um país de tradições e costumes bem enraizados na cultura do país. A época natalícia não é exceção e há inúmeros rituais que se mantêm bem vivos ano após ano. Há tradições que se repetem de norte a sul do país. Mas há também tradições típicas de determinadas regiões de Portugal e que apenas aí se podem vivenciar. Viaje connosco pelo país imbuído no espírito natalício e fique a conhecer as tradições mais curiosas e peculiares do Natal em Portugal.

Um pouco por todo o país poderá desfrutar ainda mais desta quadra mágica com programas que incluem musicais e concertos, pais Natais de todos os tamanhos, presépios animados, árvores gigantes e mercados de Natal. Deixe-se contagiar pelo espírito natalício e descubra alguns dos melhores eventos para se divertir com a família e amigos.